Ex-Inglaterra revela que sofreu abuso: "Pesadelo em que não dá para gritar"

Do UOL, em São Paulo

  • Andrew Yates/AFP

    Dyer (esq.) em ação pelo Newcastle

    Dyer (esq.) em ação pelo Newcastle

Num relato estarrecedor, Kieron Dyer, ex-jogador com passagens por West Ham, Newcastle e seleção inglesa, revelou ao jornal local "Daily Mail" que foi abusado sexualmente por um tio-avô chamado Kenny quando tinha 11 ou 12 anos. 

"Acordei, mas sentia medo de abrir os olhos. Kenny havia deslizado sua mão pelas minhas calças enquanto eu estava dormindo e ele estava me acariciando. Fiquei frio. Estava petrificado. Não sabia o que fazer. Kenny deve ter sentido que acordei porque começou a me calar e tentar me tranquilizar", contou Dyer.

Em seguida, segundo Dyer, o tio-avô inclinou a cabeça sobre seu colo e começou o ato sexual. "Ainda estava aterrorizado. Sabe quando você tem aqueles pesadelos em que você não pode gritar? Foi assim. Depois consegui me afastar dele e colocar minhas calças. E ele me disse: 'não diga nada, este é nosso segredo'".

Kenny morreu quando Dyer tinha 21 anos e vivia um grande momento na carreira, assinando contrato com o Newcastle e estreando pela seleção. Ele disse que se incomodou ao ver a família chorando por "um monstro", mas que não disse nada.

"A coisa mais difícil é que sou a vítima, mas não a única vítima porque é minha família inteira. É muito duro para eles. Eles confiavam naquele homem", prosseguiu Dyer, com os olhos cheio de lágrimas, segundo o "Daily Mail". 

O ex-jogador, que hoje tem 39 anos e lança no fim de fevereiro uma autobiografia, disse que o abuso lhe causou traumas. Um deles foi dormir na cama da mãe até os 16 anos por causa do medo que sentia à noite. O esporte acabou se tornando uma válvula de escape.

"Sei que outras pessoas terrivelmente sofreram coisas similares ou piores e que alguns sentiram tanto desespero e desesperança que tiraram a própria vida. Não sei por que isso me aconteceu. Creio que a cada vez que jogava futebol, era uma maneira de esquecer a dor e o abuso". 

Dyer fez parte do elenco da Inglaterra que disputou a Copa do Mundo de 2002 (tendo inclusive entrado no segundo tempo da derrota por 2 a 1 para o Brasil nas quartas de final) e na Eurocopa de 2004. A carreira, porém, não decolou como o esperado. Ele ainda se envolveu em polêmicas extracampo, como um vídeo sexual em que também apareceram Frank Lampard e Rio Ferdinand "

"Não quero usar o que aconteceu como desculpa pelos erros que cometi", afirmou Dyer ao tornar o caso público. "Na minha vida e na minha carreira no futebol, cometi erros monumentais. Mas tive uma escolha. Sabia o que estava bem e o que estava mal e pude escolher. Mas o abuso é provavelmente a única coisa em que não tive escolha. Não pude fazer nada naquele momento", concluiu. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos