Por lesões, atacante que custou R$ 196 mi está há um ano e meio sem jogar

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

Ele foi artilheiro de três edições do Campeonato Português, fez gols na última Copa do Mundo e custou cerca de R$ 196 milhões aos cofres de seu último clube. Sem jogar há exato um ano e meio, hoje ele tenta se recuperar após seguidas lesões que acompanham desde outubro de 2016.

Revelado pelo Independiente Medellín em 2004, Jackson Martínez ganhou destaque só em 2012. Contratado do clube mexicano Chiapas para ser o substituto de Radamel Falcao García no Porto, o colombiano superou as expectativas.

Em três anos com a camisa do Porto, Martínez foi artilheiro dos Campeonatos Portugueses de 2013, 2014 e 2015, fazendo ao todo 92 gols pelos dragões. Tal desempenho o levou para a Copa do Mundo de 2014. Reserva de Téo Gutiérrez, ele fez dois gols na vitória da seleção sul-americana contra o Japão por 4 a 1, ainda na primeira fase.

O desempenho de sucesso de fez com que o Atlético de Madri gastasse 35 milhões de euros em sua contratação em junho de 2015. Cercado de expectativas, Martínez não conseguiu corresponder ao esperado pelo técnico Diego Simeone. Titular na maior parte do tempo, o colombiano fez apenas 3 gols em 22 partidas pelos colchoneros, e viu seu espaço diminuir após a volta de Fernando Torres à equipe, em janeiro de 2016.

Por mais que seu desempenho tivesse sido aquém do esperado, Jackson ganhou uma nova oportunidade de voltar aos tempos de Porto apenas 8 meses depois de chegar à Espanha. Em fevereiro, o Atlético de Madri aceitou uma proposta de 42 milhões de euros do Guangzhou Evergrande pelo colombiano, que chegou à China como a contratação mais cara da história até então.

O que era para ser uma temporada cheia de gols na equipe de Luiz Felipe Scolari se transformou no início de um calvário que perdura até os dias atuais. Martínez começou bem, fazendo três gols em cinco jogos, mas uma lesão no tornozelo esquerdo em abril de 2016 fez com que o atleta ficasse parado por quatro meses. Sua volta não durou mais do que 11 dias. Com complicações na região em que operou, o colombiano ficou afastado mais uma vez e ainda conseguiu voltar nas últimas rodadas, ajudando sua equipe a conquistar o Campeonato Chinês com 1 gol marcado em 11 partidas no seu retorno.

O fim da temporada fez com que Jackson optasse por fazer uma nova cirurgia para resolver os problemas em seu tornozelo de uma única vez. No entanto, exames feitos nos Estados Unidos mostraram uma infecção em seu calcanhar e mais uma vez o atleta teve de passar poroperação em julho de 2017.

Ainda se recuperando em Portugal, Jackson já não tem mais tanta pressa para voltar, assim como o seu próprio clube não conta com o seu retorno em um futuro próximo. O Guangzhou chegou a tirar a foto de Jackson Martínez do seu site oficial e o técnico Fabio Cannavaro não o inscreveu na lista de jogadores para a Liga dos Campeões da Ásia.

Sem atuar desde outubro de 2016, Martínez não tem chances de jogar a Copa do Mundo de 2018. Com 31 anos, o colombiano ainda não tem uma data certa para voltar aos gramados normalmente, e segue fazendo apenas trabalhos de fisioterapia na Europa.

Com contrato válido com o clube chinês até dezembro de 2019, Jackson Martínez terá de batalhar novamente por um lugar na equipe. Atualmente o posto de centroavante é ocupado por Alan, atacante revelado pelo Fluminense.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos