Moisés explica demora para voltar e avisa que concorre com Melo e Tchê Tchê

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

    Moisés explicou o motivo da demora para a sua volta aos gramados

    Moisés explicou o motivo da demora para a sua volta aos gramados

Moisés deve voltar a ser figura frequente nos relacionados do Palmeiras. Depois de participar de duas partidas durante o início do ano, o meio-campista ficou mais afastado dos gramados e deve voltar estar com o grupo na próxima quinta-feira (1), contra o Junior Barranquilla, na Colômbia.

O meio-campista explicou que sabia dos planos de voltar depois de seus companheiros desde o fim do ano passado. Se em 2017 ele jogou como meia, agora, ele se coloca como principal opção para ser volante.

Ao menos em um primeiro momento, a função de camisa 10 deve ficar com Lucas Lima, com Gustavo Scarpa e Alejandro Guerra tendo chances na função esporadicamente.

"Já conversei com Roger e falei que onde consigo mais acrescentar é ali de volante. Eu brigo, hoje, com Tchê Tchê e Felipe Melo, é ali onde estou brigando, junto com Thiago e Bruno", explicou.

Apesar de estar disponível, Moisés disse que ainda não tem condições de atuar por 90 minutos, o que dificulta sua escalação como titular.

Ele explicou que a demora para o retorno acontece por causa das duas lesões que teve em seguida, em 2016 e em 2017. A última delas teve mais gravidade e o afastou dos gramados por cerca de seis meses.

"O pessoal da fisiologia em geral me mostrou que eu ficaria mais preparado em 2018. Poderia voltar, voltei das férias melhor, e consegui malhar porque antes eu tive que operar. Voltei melhor. Poderia, sim, ter começado, tentar fazer a pré-temporada no meio dos jogos, mas acredito que dessa forma foi melhor. Deu vontade ali de falar 'parou', vou jogar. Mas até por isso eu joguei contra Red Bull, Bragantino. Era para sentir o gosto e não perder esse prazer. Aí voltei para fazer mais um tempo de pré-temporada. Agora estou 100% liberado, fisicamente muito bem, mas falta ritmo. Não fiz nenhum jogo, ainda não consigo jogar jogo 90 minutos. Tenho que ir por etapas. Mas, sem dúvida, estou em momento muito bom fisicamente", completou.

Moisés admitiu que esteve com menos velocidade do que o normal e que agora poderá atuar com melhor ritmo por causa de sua preparação especial. O meia, no entanto, brincou que não adianta esperar que ele corra como um ponta. 

"Quando eu cheguei, em 2016, me sentia praticamente nesse nível. Até então, não tinha tido lesões graves. Voltei 100% e consegui ajudar. Em 2017, tive uma lesão grave também e consegui ajudar da melhor maneira possível. Não foi uma volta precipitada, estava 100% clinicamente, mas em questão de ritmo de jogo, você não consegue. Poderia ficar oito meses que não conseguiria ficar 100% em questão de agilidade, de ritmo. A gente tocou 2017 da melhor forma possível naquele momento, sabendo que quando voltasse para 2018 teria preparação melhor para retomar meus números físicos de antes das lesões. Me sinto mais ágil, mais forte, não sou nenhum Keno", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos