Botafogo aceita Caixa por R$ 10 mi e tenta cartada final por naming rights

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Pedro Martins/Nova Iguaçu FC

Botafogo e Caixa já tinham acordado a renovação da parceria no fim do ano. O banco federal, no entanto, ainda não tinha definido quanto poderia investir no clube na temporada 2018. O Alvinegro buscava um aumento em relação aos R$ 10 milhões de 2017, mas teve que se contentar com a mesma quantia para esse ano. A informação fii divulgada pelo globoesporte.com e confirmada pelo UOL Esporte.

A explicação do Botafogo é simples. Segundo diz o clube nos bastidores, a Caixa terá que fazer uma redução de 20% no investimento geral em 2018. Ao propor o mesmo valor de 2017, quando o time estava na Libertadores, a diretoria de General Severiano entende que foi valorizada e se trata de um bom negócio.

É preciso levar em consideração ainda o momento atual do país, que atravessa grave crise financeira. O próprio Botafogo sentiu isso na pele após perder patrocínio da Viton 44. Mesmo buscando novos parceiros, o Alvinegro sofreu para frchar acordo longo, sendo obrigado a fechar várias parcerias pontuais.

O valor ainda pode aumentar já que há uma outra negociação em curso. Paralelamente ao patrocínio máster, o Botafogo conversa com o banco estatal a possibilidade de dar nome ao estádio Nilton Santos. A crise, porém, deve atrapalhar a conclusão do negócio.

Com a renovação do patrocínio master, o Botafogo tem só um espaço vago em seu uniforme: a manga. Além da "Caixa no peito e nas costas", os demais patrocinadores são: "Neto's" na omoplata, "Cercred" na barra frontal", "Pega Carga" na barra traseira e "Tim" nos números.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos