Em semana tensa, PSG exige silêncio e centraliza decisão sobre Neymar

Dassler Marques e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Stephane Mahe

    Neymar chora após se machucar na partida entre PSG e Olympique de Marselha

    Neymar chora após se machucar na partida entre PSG e Olympique de Marselha

O PSG pediu a seus jogadores, respectivos estafes e funcionários do clube que mantenham silêncio sobre lesões do elenco – principalmente a sofrida por Neymar - e evitem falar com a imprensa. Pessoas ligadas a diferentes atletas do grupo afirmam que o clube francês irá concentrar todas as comunicações, e quer ser a única fonte de informações sobre o assunto - até mesmo a CBF e os médicos da seleção brasileira devem manter o silêncio.

A postura do clube parisiense ocorre na esteira de polêmica envolvendo cirurgia de Neymar para corrigir uma fissura no quinto metatarso do pé direito. O estafe do jogador chegou a decidir pela cirurgia, mas o PSG ainda não tinha sido consultado – a informação foi publicada por diversos veículos, inclusive o UOL Esporte.

Depois da publicação, o treinador do PSG, Unai Emery, deu entrevista coletiva negando o procedimento, e dizendo que ainda existiam chances do brasileiro entrar em campo no próximo dia 6, diante do Real Madrid. Em entrevista à ESPN, Neymar pai procurou dizer que a decisão sobre a cirurgia seria do clube, mas em diferentes momentos afirmou de forma assertiva que seu filho seria operado, e disse que o caso "é cirúrgico".

Irritado, o pai do jogador disparou contra a imprensa pelo vazamento de informações, e rebateu a declaração de Emery, dizendo que é impossível ter Neymar em campo semana que vem. "Isso parece até um pouquinho de maldade. Se as pessoas não conseguem segurar a língua na boca... Falta um pouco de bom senso", disse. "É absurdo alguém pensar que ele vai conseguir jogar com uma fissura no pé. Não é possível. É falta de respeito com os outros jogadores, por maior que ele seja"

Nesta quarta-feira, após reunião entre departamentos médicos de PSG e seleção brasileira, o silêncio é total. Existe a expectativa entre pessoas ligadas ao jogador de que o clube francês, tão logo haja definição, emita um comunicado ou pronunciamento com detalhes. Nem mesmo a CBF se pronuncia sobre o caso.

A opção pela cirurgia é tratada como certa, restando a definição de datas, locais e equipe médica que realizaria o procedimento. Segundo o próprio pai do jogador, a previsão de recuperação é de oito semanas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos