Lucas expõe incômodo por várias intervenções do árbitro de vídeo: "Péssimo"

Do UOL, em São Paulo

  • Andrew Couldridge/Reuters

A goleada do Tottenham por 6 a 1 sobre o Rochdale, nesta quarta-feira (28), foi marcada por cinco intervenções da vídeo-arbitragem. Lucas Moura, autor das assistências para o segundo e terceiro gols do time londrino, deu uma opinião negativa sobre a tecnologia.

"Sendo bem sincero, pra mim foi péssimo. Por dois motivos: primeiro que fica parando o jogo toda hora, e segundo por causa do frio, né? A gente teve que ficar esperando... Cada parada durava três, quatro minutos", disse à ESPN Brasil.

Logo no primeiro tempo, o árbitro Paul Tierney recorreu à tecnologia para anular um gol, além de usá-la em outras quatro ocasiões. O primeiro deles veio após Erik Lamela "abrir o placar", até o árbitro de vídeo ser acionado e Tierney optar por anular o lance por causa de uma falta de Llorente em McGahey durante a jogada.

Pouco depois, o próprio Lucas foi derrubado na entrada da área e Tierney marcou falta. O árbitro acionou o vídeo para tirar a dúvida de onde ocorreu a infração, concluindo que ela havia sido cometida fora da área.

No segundo tempo, o árbitro de vídeo trabalhou menos, mas ainda foi requisitado para confirmar o primeiro gol de Llorente, que recebeu passe em profundidade de Lucas antes de tocar sobre o goleiro adversário. Em posição legal, o atacante espanhol teve seu gol confirmado.

"Acho que estava muito confuso ali, o árbitro, enfim... Essa primeira impressão não foi boa. Foi o primeiro jogo que participei com essa tecnologia e acho que não ficou legal. Para muito o jogo, amarra muito", acrescentou Lucas, que também comentou a experiência de atuar sob muita neve.

"É muito difícil, foi a primeira vez que joguei com tanta neve assim. Ainda mais como brasileiro, acostumado com o calor. É muito difícil, estava quase caindo! Mas foi bacana, o resultado foi importante. A gente tem o objetivo de conquistar essa Copa [da Inglaterra. Ainda mais eu, que acabei de chegar: quero vencer, quero conquistar e fazer minha história aqui", comentou o camisa 27.

Cheio de elogios para o Tottenham, Lucas não deixou de desabafar sobre o que viveu nos últimos meses de Paris Saint-Germain. "Foram sete meses muito difíceis no PSG, eu não estava jogando. Treinava e voltava para casa. É difícil, então quando apareceu a oportunidade de jogar em um grande time, como é o Tottenham, isso me animou bastante", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos