Irã detém 35 mulheres que foram assistir jogo de futebol no estádio

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Edgar Su

País conhecido pela rigidez das leis islâmicas, o Irã protagonizou uma polêmica no mundo do futebol nesta quinta-feira (1). As autoridades do governo local retiraram 35 mulheres do Estádio Azadi, em Teerã, durante a partida entre Esteqlal e Persepolis.

Segundo apuração da agência de notícias local ISNA, o porta-voz do Ministério do Interior do Irã afirmou que as mulheres não foram presas, mas sim detidas provisoriamente. "As mulheres estão agora em um bom lugar para ir para casa depois do jogo", disse.

O governo local proibiu as mulheres de frequentarem estádios de futebol desde a Revolução Iraniana, que ocorreu em 1979, liderada pelo líder muçulmano aiatolá Ruhollah Khomeini.

A partida contou com a presença de Gianni Infantino, presidente da Fifa, e do ministro do Esporte, Masoud Soltanifar. Segundo apuração da BBC, uma transmissão foi retirada do ar após o político local ter sido questionado sobre quando as mulheres poderiam assistir aos jogos de futebol novamente no Irã.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos