PSG na TV e parça "tietado" por fãs: bastidores da cirurgia de Neymar em BH

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Eugenio Savio/AP

O que tinha tudo para ser uma cirurgia simples do principal jogador da seleção brasileira se tornou um evento em Belo Horizonte. A operação de Neymar no Hospital Mater Dei movimentou a cidade, apesar de todo o sigilo adotado pelos funcionários do local e pelas pessoas próximas ao atacante do Paris Saint-Germain.

Desde o período da manhã desse sábado (3), fãs e curiosos se aproximaram da portaria do hospital na esperança de ver o jogador de 26 anos. Houve até pagode e churrasco na porta do Mater Dei. Com Neymar se recuperando da operação no quarto de hospital, coube aos fãs do craque "tietarem" um dos parças do atacante que foi dar uma volta após a cirurgia do amigo. 

Do lado de dentro do Mater Dei, poucas informações foram passadas a imprensa e aos admiradores do jogador. A única coisa que se sabe de concreto é que o jogador assistiu a vitória do PSG na TV e que receberá alta neste domingo, porém o destino de Neymar após deixar o hospital ainda é mantido em sigilo. 

Informações guardadas a sete chaves

Qual o horário da cirurgia? Quem ficará na sala de operação? Quais as companhias do atleta após a intervenção? Nenhuma dessas perguntas foi respondida de forma oficial. Mater Dei, CBF e Paris Saint-Germain adotaram o mistério ao organizar o ocorrido. As informações só se tornaram públicas por meio de fontes ligadas ao hospital.

O UOL Esporte descobriu o período em que Neymar permaneceu no bloco cirúrgico para a intervenção. O craque entrou na sala às 9h03 (de Brasília) e deixou o local às 11h15. Ele foi operado por Rodrigo Lasmar, médico do Atlético-MG e da seleção brasileira, e sua equipe, composta por Otaviano Oliveira e Felipe Kalil, também do clube de Belo Horizonte. Gérard Salliant, médico do PSG, também ficou na sala de cirurgia.

Nadine Gonçalves, mãe de Neymar, ficou no quarto que recebeu o craque, no 16º andar do Hospital Mater Dei. Ela estava acompanhada de Gil Cebola, amigo do craque, e outros dois "parças" do filho. O estafe do jogador, membros da CBF e Maxwell, ex-jogador e atual diretor do PSG, ficaram em outro quarto do corredor. 

Bruna Marquezine ficou no Rio

A atriz Bruna Marquezine, namorada do atacante, não conseguiu folga nas gravações da novela 'Deus Salve o Rei', da TV Globo, e ficou impossibilitada de ir à capital mineira para ficar ao lado do jogador.

Ela teve que trabalhar na tarde deste sábado (3) no Projac, da TV Globo, e não conseguiu viajar. No entanto, às vésperas da cirurgia, Bruna foi a Mangaratiba, na casa do atleta, para acompanhá-lo. Eles até publicaram uma foto em seus respectivos perfis de Instagram.

Franck Fife/AFP

Jogo do PSG na cama de hospital

Ao fim da cirurgia, Neymar foi conduzido na maca até o seu dormitório no hospital. O craque chegou ao quarto dormindo por conta do efeito da anestesia. Ao acordar, pediu para assistir à partida do PSG. O time da estrela brasileira venceu o Troyes, também da França, por 2 a 0 pelo campeonato local. O duelo foi disputado fora dos domínios da equipe.

Este foi o segundo compromisso do Paris Saint-Germain sem Neymar. O craque se lesionou no último fim de semana, no jogo contra o Olympique de Marselha pela Ligue 1.

Indefinição sobre entrevista

As informações demoraram a chegar à imprensa, que estava em grande número no hospital, com jornalistas brasileiros, franceses e de outros países. Mas por volta de 12h10 - quase uma hora após o fim da operação de Neymar -, Day Crespo (responsável pela imagem do jogador) e Vinícius Rodrigues (assessor da CBF) foram à portaria do hospital para informar que não haveria uma entrevista coletiva.

Menos de uma hora depois, mudança de planos. Rodrigo Lasmar e Gérard Salliant conversariam com os jornalistas no auditório do Mater Dei. Minutos antes da dupla chegar ao local combinado, mais uma alteração. A conversa com os repórteres seria apenas um pronunciamento rápido.

A justificativa oficial para os desencontros nas informações se dá pelo fato de a logística ser definida por três partes: cúpula do PSG, representantes da CBF e estafe de Neymar.

No pronunciamento, o discurso foi mais uníssono: Neymar fará um exame de imagem em seis semanas para averiguar a evolução da cirurgia. Ele terá alta na manhã deste domingo (4) e pode ficar até três meses fora de combate.

Thiago Fernandes/UOL Esporte

Churrasco e assédio a "parça" de Neymar

O fim dos discursos fez com que boa parte da imprensa fosse embora das imediações do Mater Dei. Alguns torcedores também optaram por deixar o local. Mas por volta de 16h (de Brasília) houve mais uma manifestação na calçada do hospital.

Cerca de 20 pessoas foram ao hospital para fazer um churrasco e celebrar a bem-sucedida operação do atacante. O que eles e nem os poquíssimos repórteres que estavam no local esperavam era ver um "parça" de Neymar caminhando no lugar. Gil Cebola, amigo do camisa 10 do PSG, foi à calçada e até tirou foto com os fãs de seu amigo.

Thiago Fernandes/UOL Esporte
Gil Cebola, "parça de Neymar", se reúne com fãs do craque na porta do Hospital Mater Dei

Mistério sobre destino

Na manhã deste domingo, Neymar deixa a capital mineira. O destino ainda não foi confirmado por seu estafe, mas ele já iniciou o tratamento com Rafael Martini, seu fisioterapeuta particular, e membros das comissões de PSG e seleção brasileira. O craque receberá alta no Hospital Mater Dei para escolher o seu local de recuperação.

A Cidade do Galo foi oferecida pelo médico Rodrigo Lasmar, mas há a possibilidade também de ele ir a Mangaratiba, onde possui uma residência equipada com aparelhos necessários para fazer a fisioterapia e a recuperação da cirurgia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos