Ramires se diz feliz na China, mas sonha com volta ao Chelsea e Europa

Guilherme Dorini

Colaboração para o UOL, em Londres (ING)

  • VCG/Getty Images

A passagem de Ramires pela China pode estar perto do fim. Apesar de declarar felicidade no Jiangsu Suning-CHN e tentar manter-se concentrado nesta temporada, o meio-campista brasileiro não esconde a vontade de voltar ao futebol europeu antes de chegar o momento de pendurar as chuteiras. Em entrevista ao UOL Esporte, o volante elogiou a Inter de Milão, clube em que é frequentemente especulado, mas revelou um desejo de voltar ao Chelsea, onde foi multicampeão e considera sua segunda casa.

"É o time que sempre terei um carinho especial e onde ainda tenho a vontade de jogar antes de encerrar a carreira. Estive tratando uma lesão que tive recentemente no clube e posso falar, sem dúvidas, que ali é como se fosse a minha segunda casa. Sei que as portas do Stamford Bridge sempre estarão abertas para mim e voltar a vestir a camisa do clube algum dia seria espetacular", contou, também admitindo carinho com Cruzeiro e Joinville, equipes que defendeu no futebol brasileiro.

Ramires chegou ao Chelsea em 2010, depois de uma ótima temporada pelo Benfica. Na Inglaterra, ganhou tudo: foi campeão da Copa da Liga, Copa da Inglaterra, Liga Europa, Campeonato Inglês e Liga dos Campeões – sendo peça fundamental para a conquista do título europeu. Em 2016, porém, foi seduzido por uma proposta tentadora da China, negociado com o Jiangsu Suning por 28 milhões de euros (R$ 123,3 milhões) – contratação mais cara da história do futebol chinês na época.

"O primeiro ano aqui na China foi excelente. Me adaptei rápido, chegamos nas decisões de três competições, então foi uma temporada muito boa. O ano passado já enfrentamos muitas dificuldades por conta de algumas mudanças, mas a preparação para 2018 está sendo excelente. Esperamos voltar a brigar em cima. Estou feliz aqui, minha família também, tenho o carinho e respeito de todos e vou seguir lutando para continuar correspondendo as expectativas", analisou Ramires.

Apesar de estar em um time competitivo – comandado pelo italiano Fabio Capello –, Ramires não conseguiu conquistar nenhum título e, uma hora, a saudade do futebol europeu bate. E, na verdade, parece já ter batido no brasileiro.

Uma de suas opções seria a Inter de Milão, equipe italiana onde é frequentemente especulado – facilita o fato de a empresa que comanda o Jiangsu ser a mesma que adquiriu 70% do clube italiano, em 2016, por 270 milhões de euros. Nas últimas janelas de transferências, Ramires esteve perto de acertar sua ida para lá – apesar de não admitir uma proposta oficial –, mas o clube optou pela chegada do também brasileiro Rafinha Alcântara, ex-Barcelona.

"Muito tem sido falado sobre esse interesse da Inter, mas não chegou nada de concreto diretamente para mim, pelo menos até hoje. Todos sabem que a Inter é um grande clube, que voltar a jogar na Europa é um desejo que eu tenho para o futuro, mas o meu presente é o Jiangsu. Minha realidade e meu foco está todo voltado em ajudar a equipe a fazer um grande ano de 2018 e nada mais passa pela minha cabeça nesse momento", completou.

O brasileiro até que tenta manter um discurso focado no clube chinês, mas, aos 30 anos, sabe que não há muito tempo para manter vivo o sonho de voltar à Europa. O melhor (e único) exemplo seria Paulinho, que trocou o Guangzhou Evergrande pelo Barcelona no ano passado. No entanto, isso só ocorreu graças ao bom desempenho na seleção brasileira, o que não faz parte do presente de Ramires.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos