Dívida do Coritiba e demora em acerto impediram saída de Donizete do Santos

Napoleão de Almeida e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo e em Santos

  • André Yanckous/AGIF

    Leandro Donizete esteve a pique de voltar ao Coritiba, mas planos foram adiados

    Leandro Donizete esteve a pique de voltar ao Coritiba, mas planos foram adiados

Leandro Donizete seguirá no Santos, mesmo sem oportunidades com o técnico Jair Ventura. Aos 35 anos, o volante chegou a negociar com o Atlético-MG e com o Coritiba, dois clubes com os quais tem identificação, mas as diretorias não chegaram a um acordo e ele seguirá na Vila Belmiro, ao menos até o final dos Estaduais.

Donizete esteve muito próximo de retornar ao Coxa, clube pelo qual jogou 119 partidas entre 2008 e 2011, até ir ao Galo. Dono de imóveis em Curitiba, chegou a procurar escola para a filha e estava contente com a chance de voltar à cidade, mas esbarrou na demora do Santos em aceitar a proposta do Coritiba, que incluía uma dívida dos salários do zagueiro Cléber e do meia-atacante Rafael Longuine, emprestados pelo Peixe ao Coxa em 2017, de R$ 700 mil.

No acordo por Cléber e Longuine, o Coxa tinha se comprometido a pagar parte dos salários, o que não ocorreu. Os dois clubes – Santos e Coritiba – mudaram de gestão no final do ano e a pendência seguiu. Quando o Coritiba procurou o Santos por Leandro Donizete, o primeiro entrave foi essa dívida. Depois, o Santos também precisaria compor o salário do volante, já que o Coxa estabeleceu um teto para a temporada: R$ 45 mil para o Paranaense e 60 mil para a Série B. Donizete tem salários de R$ 200 mil mensais no Santos, com contrato até 2019 – e ainda recebe luvas parceladas, o que impulsiona os valores para mais de 300 mil por mês.

Enquanto estudava a proposta coxa-branca, o Santos considerou as hipóteses e, quando decidiu dar o sim, as inscrições para o Campeonato Paranaense já estavam encerradas. Em paralelo, o Coxa encontrou em Vitor Carvalho e Julio Rusch uma dupla de volantes satisfatória, optando por segurar o orçamento no Estadual. "Talvez para a Série B. Futebol é dinâmico, não dá pra criticar os diretores. Faz parte", disse Edson Khodor, representante de Donizete, que preferiu não entrar em detalhes.

O UOL Esporte confirmou as informações com fontes ligadas ao Santos e ao Coritiba. Donizete segue treinando no CT Rei Pelé e ainda busca um clube para voltar a atuar. Do contrário, deverá cumprir o contrato com o Peixe. "Donizete tem quatro Libertadores. Não tem acordo, a rescisão é completa. Ele é funcionário do Santos e treina todo dia", sentenciou Khodor.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos