Luan, ex-Palmeiras, convenceu amigo Wesley a resgatar futebol no América-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Mourão Panda/América-MG

    Convencido pelo amigo Luan, Wesley escolheu o América para resgatar futebol perdido

    Convencido pelo amigo Luan, Wesley escolheu o América para resgatar futebol perdido

Ex-jogador da Seleção Brasileira e com passagem pela Europa, o volante Wesley quer resgatar seu futebol. Campeão com Neymar nos tempos de Santos, o jogador tem 30 anos e estava sem clube desde o fim do ano. Agora no América-MG, o volante reencontrará velhos conhecidos em sua busca por um lugar ao sol, mas nenhum deles teve um papel tão importante como Luan. Amigo do volante desde os tempos de Palmeiras, ele conversou com Wesley antes dele tomar a sua decisão de ir a Belo Horizonte.

"O Wesley é um parceiro meu de longa data, um irmão. Tenho certeza que ele vai nos ajudar muito. Quando surgiu o interesse, ele me ligou e eu não estava nem sabendo. Ele me disse que queria vir para voltar a ser um jogador de alto nível. Falei para ele que o América tem tudo isso para ele crescer, com tranquilidade para trabalhar e mostrar o melhor", comenta o atacante.

No papel, Luan tem um currículo invejável: tricampeão brasileiro (duas vezes com o Cruzeiro e uma com o Palmeiras) e um título da Copa do Brasil (também com o Palmeiras). Todos eles em um passado recente, nesta mesma década. Contudo, as taças nem sempre acompanharam um futebol de alto rendimento. No Palmeiras, ele viveu pontos mais baixos do que altos e ficou marcado pelo rótulo de "queridinho do Felipão". Em Minas, foi reserva com o técnico Marcelo Oliveira e mesclou boas e más atuações quando saía do banco. Depois de voltar para o alviverde, rodou por empréstimo no Atlético-PR e Red Bull, antes de se reencontrar no América-MG, onde foi campeão brasileiro da Série B de 2017.

Já Wesley foi revelado no Santos e teve seu ápice em 2010, quando fez parte do time de Paulo Henrique Ganso e Neymar que conquistou o Paulista e a Copa do Brasil daquele ano. Em alta, foi para o Werder Bremen-ALE e retornou dois anos mais tarde para o Palmeiras. Lá, encontrou Luan, e juntos foram do céu ao inferno com a conquista da Copa do Brasil e a queda para a Série B no mesmo ano. Ainda com lenha para queimar, fez boas apresentações em 2013, mas teve uma queda de produção a partir da temporada seguinte. Fora do Palmeiras, o futebol também não convenceu no rival São Paulo e de lá ele se mudou para Recife. No Sport, viveu um drama ainda maior com uma passagem meteórica de quatro meses até sair sem grande brilho. Agora, um novo passo foi dado e o objetivo é de seguir os passos do novo companheiro.

"Tive ótimas referências de outras pessoas, mas o Luan foi fundamental. Ele conseguiu resgatar a felicidade e o bom futebol aqui, depois de um momento complicado de lesão", disse Wesley, no momento de sua apresentação.

Além de Luan, Wesley também irá encontrar outros atletas que buscam no América uma nova chance de se reerguer. No ataque, o Coelho conta com Rafael Moura, ex-Fluminense e Atlético-MG, e Marquinhos, ex-Palmeiras, Cruzeiro e Internacional.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos