Daniel Alves diz que futebol virou comércio: "gosto cada vez menos"

Do UOL, em São Paulo

  • Matthias Hangst/Getty Images

Envolvido em recentes polêmicas, o lateral direito Daniel Alves disse que o futebol está virando um comércio e está perdendo o brilho. Em entrevista veiculada neste domingo pelo programa "Esporte Espetacular", da "TV Globo", o jogador do PSG diz que gosta cada vez menos do esporte.

"O futebol está perdendo o brilho que ele fez. (Para quem) quer ser atleta hoje o futebol é um comércio. Sinceramente cada vez mais eu gosto menos do futebol", disse o lateral, que citou a polêmica com Cristiano Ronaldo para defender sua posição.

"Falaram que eu coloquei uma meleca na camisa do Cristiano Ronaldo. Véio (sic), não sei em que mundo vivo. Será que eu tenho dois anos ou as pessoas têm dois anos?", questionou, dizendo que ninguém questionou se ele estava com problema respiratório e precisava deixar o nariz livre.

Ele ainda tentou explicar outra troca de provocações com o jogador do Real."Vi depois. Isso é da competição. Não é nada pessoal. Eu falei pessoalmente a ele. 'Sou que nem você, não gosto de perder' ", disse.

Daniel Alves também falou sobre a sua situação no PSG e disse que a opção pelo clube ocorreu por um projeto a longo prazo e, sem especificar se para mais ou menos, disse que ganha um salário que não condiz com o seu valor.

"Vim para um projeto, pela aposta que fizeram por mim. E eu acredito o dinheiro que o que eu ganho não condiz com o meu valor", disse.

Por estar pensando a longo prazo, o lateral encara com naturalidade a eliminação do PSG para o Real Madrid nas oitavas da Liga dos Campeões.

"Sempre levo para casa, a única parte que levo para casa é isso. As eliminações nas nossas vidas não são por acaso, vivi isso na seleção brasileira, entre aspas, por não ter essa conexão, Eu acredito que é um processo de transição que está acontecendo. Não há uma conexão geral, Já vivi essa situação. Eu sei porque acontece, não tem a conexão. O PSG está nesta transformação, neste processo e vai sofrer neste processo porque será árduo", disse.

Capitão

Na entrevista, Daniel Alves ainda disse que Neymar não é uma marionete e recebeu críticas por dizer que gostar das mulheres de sua família ao responder se era um homem feminista. Já em outro trecho da entrevista, ele disse que, para a sociedade, talvez não tenha os requisitos para ser o capitão da seleção.

"Para o que a sociedade exige, não. Para a minha profissão, pelo respeito e dedicação ao futebol, eu diria que sim. Isso não é hipocrisia. Não sou só legal. Sou bom para c..., Legal é falso. Não é o meu foco. (O foco) É ir para a Copa e ganhar essa p...", disse.

Entre as recentes polêmicas, Daniel Alves foi criticado por uma resposta considerada fria em relação à morte de Davide Astori, jogador de 31 anos da Fiorentina que morreu no último fim de semana. O tema não foi abordado na entrevista.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos