Folgas a Gabigol e derrotas já fazem diretoria pressionar Jair no Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Daniel Vorley/AGIF

    Treinador não vence há quatro jogos no Santos - foram três derrotas e um empate

    Treinador não vence há quatro jogos no Santos - foram três derrotas e um empate

Após o Santos completar quatro jogos sem vencer (três derrotas e um empate) e tomar oito gols neste período, o técnico Jair Ventura já começa a sofrer pressão no clube paulista. O UOL Esporte apurou que o estopim para a insatisfação da diretoria santista foi a decisão do treinador em poupar os titulares na última rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista.

Jair, inclusive, foi advertido da decisão antes mesmo da partida. A cúpula santista reprovou a estratégia e ficou indignada ao ver o time perder por 3 a 1 para o São Bento, em plena Vila Belmiro. Os dirigentes ressaltam que Gabigol, principalmente, não deveria ter sido poupado.

Gabriel completará duas semanas sem atuar. O último jogo do camisa 10 ocorreu na derrota para o Real Garcilaso, do Peru, no último dia 1º deste mês. E o atacante só volta a campo na próxima quinta-feira, diante do Nacional, do Uruguai, no estádio do Pacaembu, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Neste período, Gabriel cumpriu suspensão no clássico contra o Corinthians e foi preservado por Jair Ventura para os duelos contra Novorizontino e São Bento. Sem ele o time não venceu – foram duas derrotas e um empate.

Dirigentes alegam que Jair Ventura provocou uma pressão desnecessária ao poupar todos os titulares porque o Santos só atua na quinta-feira. E atletas como Gabigol, por exemplo, que não jogava há mais de dez dias, poderia estar em campo.

Jair Ventura alega que poupa seus jogadores para evitar lesões no início de temporada. Vale ressaltar também que o Santos entrou em campo classificado para as quartas de final do Paulista. O treinador, no entanto, correu um pequeno risco. Caso o Botafogo vencesse o Corinthians, o time de Ribeirão Preto decidiria as quartas de final em casa.

Dirigentes santistas também consideraram o time bastante desorganizado e vulnerável diante do São Bento. Antes de poupar os titulares no domingo, Jair Ventura já vinha causando críticas por parte da diretoria santista. A cúpula alvinegra não gosta de ver o Santos atuando atrás da linha da bola e apostando somente nos contra-ataques.

A equipe santista atuou em todos os clássicos jogando "por uma bola". Assim ganhou do São Paulo, perdeu para o Palmeiras e empatou com o Corinthians. Jair escalou o time sempre no esquema 4-1-4-1 e apresentou poucas variações, segundo eles.

O meio-campo titular formado por Vecchio, Renato e Alison também é alvo de críticas. A diretoria santista tenta contratar um meia e um volante no mercado do futebol, mas considera que existem outras opções no elenco atual. Na visão deles, este trio não pode atuar junto pois causa lentidão no time. Aliás, essa também é uma crítica frequente dos torcedores.

Jair explica ausência de Gabigol e expõe números do Santos

Procurado pelo UOL Esporte, por intermédio de sua assessoria de imprensa, o técnico Jair Ventura alega que só poupou Gabigol no duelo contra o São Bento, pois diante do Novorizontino ele estava lesionado. Contra o Corinthians, o camisa 10 estava suspenso.

Jair nega que alguém tenha falado com ele antes ou depois da partida para demonstrar insatisfação com a sua decisão de escalar o time reserva. Neste caso, o técnico alega que só o gerente de futebol, William Machado, sabia de sua decisão e aprovou. Jair reitera que não há interferência em seu trabalho.

Em relação ao esquema tático, Jair Ventura confirmou que o Santos só atuou no 4-1-4-1 e variou apenas uma vez para o 4-4-2. Ele alega que utiliza somente este esquema porque não possui um camisa 10 clássico em seu elenco. Apesar de confirmar o esquema, o técnico santista nega que só joga nos contra-ataques e fez questão de apresentar alguns números.

Segundo o treinador, o Santos teve mais posse de bola nos clássicos contra Palmeiras, São Paulo e Corinthians. Ao lado do Palmeiras, a equipe santista lidera os gols em jogadas trabalhadas. Foram onze gols assim e apenas dois nos contra-ataques.

Jair Ventura ainda expõe que o Santos é o terceiro em posse de bola no Campeonato Paulista e o mais decisivo em passes a gol. Além disso, o treinador lembra que seu time é que mais trocou passes na área do adversário.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos