Médico do Bayern detona Guardiola em livro e revela "soco na mesa" de raiva

Do UOL, com informações da EFE

  • MIGUEL VIDAL/REUTERS

    Guardiola durante sua passagem pelo Bayern de Munique

    Guardiola durante sua passagem pelo Bayern de Munique

Médico com longa história no Bayern de Munique, Hans-Wilhelm Muller-Wohlfahr contou, em um trecho de sua autobiografia publicado nesta terça-feira pelo jornal alemão "Bild", que chegou a dar um soco na mesa durante uma discussão com o técnico Pep Guardiola.

Não é novidade que a relação entre Wohlfahr e Guardiola era atribulada, mas no livro o médico dá detalhes dos momentos de tensão que viveu durante a passagem do treinador pelo clube e não poupou críticas. Ele pediu demissão em abril de 2015, mas foi recontratado nesta temporada.

"Deveria ser uma conversa, e foi um escândalo", contou Wohlfahr sobre o encontro em um café que terminou em gritaria e soco na mesa. "Perdi totalmente o controle. Gritei com Guardiola e dei um soco sobre a mesa, que fez com que os pratos e xícaras tremessem. Pela primeira vez, em todos os meus anos de trabalho, gritei com alguém. Não entendia que um técnico, que tinha tantos anos de idade quanto eu de vida profissional, não confiasse na minha experiencia", contou.

O episódio foi o ápice de uma briga que uma tensão que permeou o Bayern entre a chegada do técnico, em 2013, e a saída do médico, menos de dois anos mais tarde. Guardiola reclamava publicamente do departamento médico do clube, sendo que depois de uma derrota do Bayern na Liga dos Campeões de 2015. O técnico culpou a condição física dos jogadores pelo fiasco.

Para Wohlfahr, Guardiola demonstrou durante a convivência por dois anos ter problemas de autoconfiança. Assim, faziam cobranças irreais em assuntos em que não tinha domínio.

"Eu acho que Pep Guardiola é uma pessoa com uma autoconfiança fraca que faz tudo o que estiver ao seu alcance para controlar os outros, então ele parece viver com medo constante, não tanto da derrota, mas muito mais da perda de poder e autoridade", disse.

Segundo o médico, as diferenças com o técnico começaram logo após o desembarque de Guardiola no Bayern, em junho de 2013. No terceiro treino de pré-temporada, o comandante questionou o especialista por três jogadores lesionados, que já deveriam estar em campo.

"Falou comigo em tom agressivo. Ele me via como um subordinado, a quem poderia recorrer a qualquer momento", revelou no livro.

Müller-Wohlfahrt ainda lamentou que Guardiola tenha provocado reviravolta no "programa de preparação física prévio aos treinos", estabelecido pela sua equipe. 

"Por uma parte, Guardiola não se interessava por questões médicas. Por outro, esperava autênticos milagres de nós", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos