Thiago Neves muda perfil e troca grana no exterior por história no Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • © Rafael Ribeiro/Light Press/Cruzeiro

    Permanência passou pela vontade de Thiago Neves levar o Cruzeiro ao tri da América

    Permanência passou pela vontade de Thiago Neves levar o Cruzeiro ao tri da América

Ele é o principal nome do Cruzeiro desde os últimos meses de 2017. As atuações de destaque na reta final da Copa do Brasil transformaram Thiago Neves em um jogador fundamental para o time de Mano Menezes, e a condição fez com que o atleta apostasse em sua manutenção na Toca da Raposa II em detrimento de muita grana.

Nos primeiros dias de pré-temporada, o meia-atacante recebeu uma oferta para se mudar para o Al-Hilal, dos Emirados Árabes Unidos, mas optou pela permanência em Belo Horizonte. Esta, porém, não foi uma proposta qualquer. A intenção dos árabes era pagar R$ 2 milhões por mês ao jogador, que recebe cerca de R$ 750 mil mensais na Toca da Raposa II. Em uma postura inédita na carreira - ele já havia trocado o Brasil pelo exterior em duas oportunidades anteriormente -, Thiago Neves optou por ficar.

A escolha do meia-atacante causou surpresa até no próprio Cruzeiro, que já se preparava para buscar um substituto à altura - Ricardo Goulart era o nome predileto do departamento de futebol.

"Não é questão de dinheiro. Dinheiro não compra felicidade, e eu e minha família estamos felizes demais em BH. Eu já falei várias vezes sobre a minha vontade de entrar para a história do Cruzeiro, de ganhar títulos e seguir aqui. Lá atrás, quando eu quis sair do Al Jazira, o Cruzeiro abriu as portas pra mim e não mediu esforços para me trazer de volta. Hoje, estou numa das melhores equipes do país, um grupo que virou uma família, disputando as competições mais cobiçadas e com chances reais de títulos, tanto pela estrutura quanto pelo planejamento forte que foi montado pra essa temporada. Isso me motiva, aguça meu instinto competitivo de maneira que vocês não imaginam", disse Thiago Neves ao UOL Esporte.

Apesar do discurso, esta é uma postura inédita na carreira de Thiago Neves. Em 2008, o apoiador alegou ser um sonho jogar na Europa para trocar o Fluminense pelo Hamburgo, da Alemanha. A passagem pelo Velho Continente, no entanto, foi fracassada e ele retornou ao time carioca no ano seguinte. Em 2013, novamente nas Laranjeiras, teve a chance de fazer história e optar pela manutenção na equipe, mas preferiu ir atrás da "independência financeira" para fechar com o Al-Hilal, mesmo clube que tentou a sua contratação em janeiro de 2018.

E mais. Depois das experiências em Japão, Emirados Árabes Unidos e Alemanha, o jogador de 32 anos diz que não pretende voltar ao exterior para defender um clube. O único fator que poderia mudar a sua ideia de fixar raízes no país natal é a possibilidade de defender a seleção brasileira.

"Já joguei em outros países, e em cada um deles, sem exceção, colecionei experiências boas para compartilhar. Atualmente, apesar de todas as coisas boas que vivi lá fora, não está nos meus planos sair do Brasil, só se for jogar pela seleção", disse aos risos.

"Mas até para isso é melhor que eu esteja aqui, porque a visibilidade é muito maior, assim como o nível de exigência. Brincadeiras à parte, é bastante isso mesmo. Quero escrever meu nome no clube e ser campeão da Libertadores ainda esse ano", acrescentou.

Cruzeiro se surpreendeu com Thiago Neves

A opção pela manutenção de Thiago Neves não dependia do Cruzeiro. O clube recusou uma oferta de US$ 3,5 milhões pelo atleta. Todavia, a diretoria ficou de mãos atadas ao ver que o valor da multa - 10 milhões de euros - seria pago pelos árabes.

Sem escolhas, o clube já procurava um substituto à altura. Ricardo Goulart era o nome pretendido. Porém, as conversas não precisaram ir adiante, porque Thiago Neves disse não à proposta da Arábia e optou por ficar no Brasil.

A situação é lembrada por Itair Machado, vice de futebol do clube, em entrevista ao UOL Esporte: "O Thiago Neves recebeu proposta oficial também. A primeira que veio era de 3,5 milhões de dólares e nós recusamos também. Depois, não coube ao clube. O time da Arábia comunicou ao Cruzeiro que pagaria a multa de 10 milhões. Mas o atleta não quis ir. É até bom explicar isso. Po rque o torcedor e a imprensa acham que o Cruzeiro recusou os 10 milhões pelo Thiago Neves. Era o pagamento da multa e o Cruzeiro não tinha que concordar".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos