Corinthians sofre com fase instável depois de 1º semestre perfeito de 2017

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

    Corinthians do zagueiro Balbuena já foi derrotado quatro vezes na temporada 2018

    Corinthians do zagueiro Balbuena já foi derrotado quatro vezes na temporada 2018

O Corinthians foi derrotado pela quarta vez em 2018 ao ser superado pelo Bragantino no último domingo. O resultado negativo na partida de ida das quartas de final do Campeonato Paulista reforçou a fase instável que o time do técnico Fábio Carille vive desde agosto passado.

Com um primeiro semestre praticamente perfeito em 2017, o Corinthians entrou numa fase de declínio a partir do oitavo mês do ano. Em 2018, embora esteja invicto nos clássicos do Estadual, o time manteve a série de altos e baixos, com atuações bem distintas em relação aos primeiros meses da temporada passada.

O período de resultados mais modestos começou após um revés para o Vitória por 1 a 0 em plena Arena Corinthians. A partir dali, o Corinthians passou a encontrar dificuldades em colocar seu jogo em prática, em um cenário similar ao vivido contra o Bragantino.

Com a maior posse de bola, a equipe de Carille novamente parou na boa marcação do adversário, que deu poucas chances para o adversário colocar em prática o seu famigerado contra-ataque. No segundo turno do Brasileirão passado, rivais adotaram a mesma estratégia para parar o líder da competição.

Para confirmar o título brasileiro, que foi encaminhado após o time conquistar 47 pontos no primeiro turno do Brasileirão, o Corinthians conseguiu vencer quatro jogos seguidos na reta final da competição - após fazer 3 a 2 no Palmeiras, a equipe obteve dois triunfos por 1 a 0 sobre Atlético-PR e Avaí, além de um 3 a 1 diante do Fluminense

A partir de agosto, o Corinthians também precisou superar desfalques no time, como Guilherma Arana e Jadson, lesionados no início do returno. Em 2018, as perdas foram definitivas, enquanto as reposições se mostraram nulas ou bem abaixo do esperado.

No ataque, a equipe ficou sem o artilheiro Jô, maior destaque de 2017. Quatro meses após a venda do jogador ao futebol japonês, a diretoria alvinegra ainda não conseguiu contratar um centroavante à altura. Arana, vendido, foi inicialmente substituído por Juninho Capixaba - hoje, Sidcley é o titular. Na zaga, o Corinthians contratou dois atletas após a saída de Pablo: Henrique e Marllon.

Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Corinthians de Carille busca fase estável

Derrotas são comuns

Para se ter uma ideia da queda de rendimento, o Corinthians de Carille só perdeu duas vezes nos primeiros 47 jogos de 2017. Esse ano, em apenas 15 partidas, esse número dobrou.

De agosto a março, a equipe saiu derrotada 12 vezes nos 36 jogos disputados. O aproveitamento de pontos, dessa forma, desabou de 73% para 50% (veja em detalhes abaixo).

O sistema defensivo, considerado o ponto forte do time, também ruiu. A média de gols sofridos, por exemplo, quase dobrou na comparação entre os dois períodos: foram 25 em 47 jogos de fevereiro a agosto de 2017 contra 33 nos últimos 36 duelos.

A preocupação com a defesa e a falta de um centroavante fizeram Carille testar três esquemas somente em 2018. O treinador implantou o 4-1-4-1 no início do ano, mas voltou ao 4-2-3-1 para obter solidez. Sem um camisa 9, o comandante passou ao 4-2-4, com dois volantes e uma linha de quatro atletas no meio de campo.

Compare os números dos dois períodos:

De fevereiro a agosto de 2017
47 jogos, 29 vitórias, 16 empates e duas derrotas
Aproveitamento: 73%
67 gols marcados e 25 sofridos

De agosto de 2017 a março de 2018
36 jogos, 15 vitórias, nove empates e 12 derrotas
Aproveitamento: 50%
40 gols marcados e 33 sofridos

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos