De Dida a Moreno, David tenta criar nova dinastia de ex-Vitória no Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Cruzeiro/Divulgação

    Atacante terá ótimas referências do seu ex-clube para tentar repetir história de sucesso

    Atacante terá ótimas referências do seu ex-clube para tentar repetir história de sucesso

Contratação mais cara do Cruzeiro em 2018, custando R$ 10 milhões, o atacante David está totalmente livre do departamento médico e já inicia sua preparação física. Eleito uma das recentes revelações do Vitória no ano passado, o garoto de 22 anos terá agora pela frente uma herança de peso na Toca da Raposa: a de ex-jogadores do rubro-negro baiano que se deram muito bem no lado celeste de Belo Horizonte. A lista contém nomes como Dida e Alex Alves, além dos gringos Marcelo Moreno e Aristizábal.

Dida e o bicampeonato da América

De todos os ex-jogadores do Vitória que fizeram a ponte para o Cruzeiro, poucos devem ter tanto prestígio com a torcida quanto o goleiro Dida. Hoje acostumados com os milagres de Fábio, os torcedores não esquecem do goleiro de 1,96m que entrou para a história celeste na década de 90. Vice-campeão brasileiro com o Leão da Barra em 1993, o camisa 1 chegou a Minas Gerais para ser um dos principais nomes nas conquistas da Copa do Brasil de 1996 e da Libertadores de 1997.

Aristizábal e a Tríplice Coroa

No início do novo século, dois estrangeiros caíram nas graças da torcida. O primeiro deles foi Víctor Aristizábal. O colombiano já havia passado por São Paulo e Santos, mas chamou a atenção do Cruzeiro após a temporada de 2002, quando defendeu o Vitória. No ano seguinte, "Aristigol" fez parte da histórica equipe da Tríplice Coroa. Repleto de hat-tricks, o atacante balançou as redes por 28 vezes e só não superou o camisa 10 Alex (39 gols) naquele ano.

Moreno e o bicampeonato brasileiro

Outro destaque gringo foi Marcelo Moreno. Apesar de boliviano, o Vitória foi o primeiro clube profissional do atacante, filho de pai brasileiro. Ainda jovem, Moreno se destacou em campo e serviu a seleção de base do Brasil. Quando foi contratado pelo Cruzeiro em 2007, Moreno já havia decidido defender as cores da Bolívia. Na Toca, virou ídolo primeiro sob o comando de Adílson Batista, técnico que o ajudou a se tornar o maior goleador da Libertadores de 2008. Em 2014, voltou ao Cruzeiro para sagrar-se campeão brasileiro e virar o maior artilheiro estrangeiro da história do clube.

Artilheiro da Capoeira

Por último, outro que merece destaque de peso e pode virar outra referência para David é Alex Alves. Diferente dos demais, o atacante não chegou ao Cruzeiro direto do Vitória, passando ainda por Palmeiras, Juventude e Portuguesa. Jogou na Raposa em 1998 (foi vice-campeão brasileiro) e 1999 e ficou marcado com suas comemorações com golpes de capoeira. Em 2010, o atacante deixou a carreira no futebol e dois anos mais tarde faleceu vítima de uma doença rara chamada hemoglobinúria paroxística.

A vez de David

Agora, chegou a vez de David mostrar porque foi comprado por R$10 milhões. O jogador assinou com o Cruzeiro até o fim de 2022 e já se preparando fisicamente para se colocar à disposição de Mano. Por causa de uma lesão na coxa que teve no final do ano passado, o garoto passou os últimos meses em tratamento e é o único reforço que ainda não entrou em campo pelo time. Com o sonho de fazer uma parceria com Fred e erguer a taça Libertadores, o jogador deverá estar totalmente pronto nas próximas semanas e só dependerá de Mano Menezes para estrear com a camisa estrelada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos