Com assédio sobre promessas, SP trabalha para evitar outro caso Cipriano

José Eduardo Martins e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

  • Rubens Chiri/Divulgação

    O diretor de futebol do São Paulo, Raí, trabalha para evitar que o clube perca jogadores após o Paulistão

    O diretor de futebol do São Paulo, Raí, trabalha para evitar que o clube perca jogadores após o Paulistão

Apesar de não ter conquistado títulos desde 2012 e de não viver um grande momento, o São Paulo ainda é uma grande vitrine para o futebol internacional. Neste início de temporada, Éder Militão, Liziero, Júnior Tavares e Lucas Perri já chamaram a atenção de clubes do exterior. Por isso, o departamento de futebol tricolor trabalha para tentar evitar que se repita o caso de Marquinhos Cipriano, que acertou pré-contrato com o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

Considerado uma das principais promessas das categorias de base, Cipriano tinha vínculo com o São Paulo até 14 de setembro. Portanto, a partir do dia 14 de março, já estava livre para assinar um pré-contrato com qualquer outro clube sem que o Tricolor recebesse qualquer recompensa financeira. 

Por isso, o clube já teve reuniões com o estafe de Éder Militão para tentar prorrogar o acordo, que é válido até 11 de janeiro de 2019. O Tricolor ofereceu aumento salarial e de multa contratual para o jogador, que foi promovido para o profissional em 2017 como volante e se firmou na lateral direita, para fechar a ampliação até 2021. Caso não aceite uma nova oferta, Militão estará livre para acertar as bases com outro clube a partir do dia 11 de julho deste ano. 

O Porto já sinalizou como interessado no jogador, como publicou o UOL Esporte. O São Paulo, logicamente, não considera nenhum atleta inegociável, mas não quer perder o seu titular, muito menos de graça. Por isso, a intenção é ou fechar uma transferência ainda neste primeiro semestre ou concretizar a renovação do contrato.

Nesta reta final do Campeonato Paulista, Júnior Tavares e Liziero também entraram na mira do mercado internacional por conta de boas atuações. O lateral esquerdo, que chegou a ser alvo do Ajax na última temporada, foi sondado pelo Rennes, da França, nesta temporada. A diretoria, porém, já sinalizou que deve fazer jogo duro para liberá-lo. E a situação é mais tranquila pois o ala, de 21 anos, tem acordo até 30 de junho de 2021 com o clube.

Liziero, de 20 anos, também é outro que ganhou moral. Com a chegada de Diego Aguirre, teve a oportunidade de ser titular na vitória por 2 a 0 sobre o São Caetano, nas quartas de final do Paulista. O jogador, que recebeu elogios do treinador, está sendo observado pelo Bordeaux, da França, como publicou o Globoesporte.com. Liziero tem contrato com o São Paulo até 7 de fevereiro de 2020, mas com salário ainda compatível ao de atleta da base. Por isso, uma renovação do acordo pode ser necessária. O jogador deve permanecer em evidência e ser titular na semifinal do estadual. 

Por fim, tem o curioso caso do goleiro Lucas Perri. Mesmo ainda sem fazer a sua estreia pelo time profissional, ele foi sondado por Roma e Napoli. Os clubes italianos ainda não entraram em contato com o São Paulo, que já fica de olho em uma possível negociação. O arqueiro, de 20 anos, tem vínculo com o Tricolor até 30 de julho de 2019 e, desta maneira, está livre para assinar pré-contrato no início do ano que vem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos