Portugal barra time de refugiados haitianos no aeroporto e causa prejuízo

Do UOL, em São Paulo

  • Danilo Verpa/Folhapress

O time de futebol sub-20 do Pérolas Negras, formado no Rio de Janeiro para integrar jovens refugiados haitianos, foi impedido de viajar a Lisboa para um amistoso com o Benfica na última terça-feira (20). Os 18 jogadores souberam apenas no aeroporto que o governo português questionava a validade de seus vistos, informou a ONG Viva Rio, que administra o clube. A informação foi publicada primeiro pelo colunista Ancelmo Góis, do "Globo".

Segundo a ONG, os funcionários da imigração portuguesa quiseram saber o que refugiados haitianos estavam fazendo em um time brasileiro e o que fariam em Portugal. A imigração acabou impedindo a viagem, o que gerou um prejuízo com as passagens perdidas.

Em contato com o consulado português no Rio, a ONG conseguiu reverter a situação e os vistos dos atletas acabaram liberados. Mas o amistoso, que estava marcado para acontecer três dias depois da viagem (na última sexta, portanto), está sob risco. O Benfica não tem data disponível para receber os haitianos. O Pérolas Negras tenta achar uma saída e conversa com outros times europeus.

Os administradores da equipe, que foi criada depois do terremoto que devastou o Haiti em 2010, tentam também minimizar o prejuízo financeiro com a remarcação das passagens.

Tanto o time profissional do Pérolas Negras quanto o sub-20 já foram campeões da quarta divisão do Estadual do Rio.

A reportagem tentou contato com a embaixada portuguesa no Brasil, mas não teve sucesso. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos