Sem Vinícius Jr. e Papagaio, seleção sub-20 vive abandono, cortes e descaso

Gabriel Carneiro*

Do UOL, em São Paulo

  • Mauro Neto/Sejel-AM

    Seleção empatou em 1 a 1 jogo-treino com o México. Neste domingo terá amistoso

    Seleção empatou em 1 a 1 jogo-treino com o México. Neste domingo terá amistoso

Enquanto a seleção brasileira dirigida por Tite encerra preparativos para reencontrar a Alemanha nesta terça-feira em momento de alta expectativa antes da Copa do Mundo da Rússia, outro time que representa o Brasil entra em campo neste domingo, mas em condições bem diferentes. Às 19h, a seleção sub-20 recebe o México na Arena da Amazônia, em amistoso que abre a preparação para o Sul-americano da categoria, que será realizado apenas em 2019. 

Apesar da já ser comum o futebol de base não receber tanta atenção no país, inclusive por parte da mídia, desta vez o "abandono" da seleção brasileira sub-20 é ainda mais impactante: dez jogadores convocados para este amistoso tiveram que ser cortados a pedido de seus clubes, sendo que houve casos de apenas as terceiras reposições às vagas originais ficarem à disposição para os treinos. Além disso, a atenção do público e da mídia locais também foram abaixo do esperado, contribuindo para o momento de descaso do time nacional.

O UOL Esporte destacou cinco razões que retratam a perda de importância da seleção brasileira sub-20 ao longo do último ano, e que culminaram no jogo "escondido" deste domingo.

Dez cortes de jogadores

Entre 27 de fevereiro, data da convocação de Carlos Amadeu, e 20 de março, quando enfim o grupo de 22 jogadores ficou completo para os treinamentos em Manaus, a CBF cortou dez nomes da lista de relacionados. Em todos os casos foi atendendo pedido dos clubes, que argumentaram compromissos mais importantes para seus atletas, como fases decisivas de Estaduais. Da lista original foram sacados Brenner (São Paulo), Fernando (Palmeiras), Lincoln e Vinicius Júnior (Flamengo) e Paulinho (Vasco), sendo que sobre o último não houve nem sequer nota oficial informando a desconvocação no site da entidade.

Carlos Gregório Jr/Vasco
Vascaíno Paulinho era uma das atrações esperadas pelos torcedores em Manaus

A seguir foram feitas reposições: Alerrandro (Atlético-MG), Yuri Alberto e Rodrygo (Santos), Papagaio (Palmeiras) e Augusto (Real Madrid), mas somente o clube espanhol concordou em ceder sua promessa à seleção sub-20, que precisou cortar os outros quatro nomes. Por isso, ainda foram convocados Vitor Gabriel (Flamengo), Jhonny Lucas (Paraná), Richard e Brenner (Internacional). Nesta terceira lista, mais um corte: Brenner fora e Jonas Toró (São Paulo) chamado de última hora.

Convocação sem informação

A falta de diálogo entre CBF e clubes proporcionou um momento inusitado antes do amistoso: em 17 de março, o Bahia informou por meio de plataformas oficiais que o atacante Júnior Brumado havia sido chamado para a seleção. Após a convocação, no entanto, a entidade foi informada que o jogador não poderia viajar porque estava em recuperação de um edema muscular na coxa. Assim, a CBF nem sequer oficializou o nome do jogador em seu site e partiu para nomes alternativos.

Segundo apurou o UOL Esporte, o conceito de convocação para as categorias de base da seleção mudou a partir desta convocação. Anteriormente, a CBF conversava com dirigentes dos clubes para convocar somente quem fosse ser liberado para a equipe sub-20. Agora o conceito é outro: a seleção convoca quem quiser e vai cortando diante dos pedidos. A estratégia ainda está em debate e pode ser alterada.

Coordenação e comando

Em fevereiro do ano passado, a seleção brasileira terminou em quinto lugar a disputa do Sul-americano sub-20 e, assim, não se classificou para o Mundial da categoria, disputado meses depois. O fato, considerado como vexame na CBF, ocasionou as demissões de Erasmo Damiani, coordenador da base, e Rogério Micale, treinador da categoria e que no ano anterior havia sido medalhista de ouro olímpico.

Desde então, a coordenação da base foi acumulada por Edu Gaspar, que até então trabalhava exclusivamente com o time principal, e o cargo de treinador só foi decidido um ano depois, em janeiro de 2018: Carlos Amadeu, antes comandante da seleção sub-17 e interino da sub-20, foi efetivado na categoria acima. Entre clubes e federações estaduais, a demora na definição e o acúmulo de funções são vistos como obstáculos no trabalho a longo prazo da entidade e da formação de talentos do país.

Mauro Neto/Sejel-AM
Carlos Amadeu foi efetivado na sub-20 há dois meses; anúncio na final da Copa SP

Público fica frustrado

O amistoso deste domingo é promovido pela CBF em parceria com o governo do Amazonas, por meio por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e Secretaria de Segurança Pública (SSP). Os ingressos para a partida estão à venda desde 2 de março, através do site da CBF, e as vendas foram intensificadas nos últimos dias, com ações promocionais envolvendo jogadores e comercialização em bilheterias e pontos autorizados. Apesar disso, a expectativa de público é baixa na Arena da Amazônia. 

De acordo com uma fonte da Sejel que não quis se identificar, a explicação é simples: "Os torcedores queriam ver o Vinícius Júnior e o Paulinho", em referência aos dois jogadores cortados a pedido de Flamengo e Vasco. 

Falta de competições

Desde a queda no Sul-americano sub-20, em fevereiro de 2017, a seleção sub-20 tem vivido um limbo de convocações: jogou apenas o Torneio de Toulon, na França, em junho, mas se despediu com uma vitória (Indonésia), um empate (República Tcheca) e uma derrota (Escócia), sendo eliminado na primeira fase. Além disso houve somente uma semana de treinamentos em abril de 2017 com o grupo sub-20 e outra em agosto, também do ano passado, com um elenco sub-18 (base do sub-20 deste ano).

A seleção brasileira sub-20 não estará em Toulon neste ano. A princípio, competições oficiais estarão no calendário apenas em 2019.

E o time?

A seleção brasileira sub-20 entrou em campo na última quinta-feira, já na Arena da Amazônia, para um jogo-treino sem torcida contra o México. O compromisso terminou empatado em 1 a 1, com o gol dos donos da casa marcado por Helinho, jogador do São Paulo.

A escalação foi a seguinte: Hugo (Flamengo), Emerson (Ponte Preta), depois Vitinho (Cruzeiro), Thuler (Flamengo), depois Walce (São Paulo), Vitão (Palmeiras), depois Patrick (Flamengo) e Guedes (Grêmio), depois Luan Cândido (Palmeiras); Victor Bobsin (Grêmio), depois Jhonny Lucas (Paraná), Luan Pereira (Avaí), depois Luan Santos (São Paulo) e Alan (Palmeiras), depois Helinho (São Paulo); Mauro (PSV-HOL), depois Vitor Gabriel (Flamengo), Igor (São Paulo), depois Augusto (Real Madrid-ESP) e Richard (Internacional), depois Jonas Toró (São Paulo). Só o goleiro Gabriel Brazão, entre os convocados, não atuou no primeiro desafio.

* Colaborou Dassler Marques, do UOL, em Moscou (RUS)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos