'Papa da Fiel' vira marca corintiana na arquibancada e faz até "milagre"

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Bruno Teixeira/Corinthians

    Moacir Avian é gerente de vendas e também o 'Papa da Fiel' nos jogos do Corinthians

    Moacir Avian é gerente de vendas e também o 'Papa da Fiel' nos jogos do Corinthians

Cabelos ralos e grisalhos, óculos de grau, estola vermelha e batina com o símbolo do Corinthians. Na arquibancada, essa mistura também grita 'Vai, Corinthians' e tem milagres atribuídos a ela, especialmente nos jogos complicados, em que o time alvinegro está pressionado em busca de gols.

Nesta quarta-feira, diante da necessidade de o Corinthians virar o placar contra o São Paulo na segunda semifinal do Campeonato Paulista, o 'Papa da Fiel', personagem encarnado pelo gerente de vendas Moacir Avian, será novamente colocado à prova. 

Presença certa nos jogos do clube como mandante, Moacir, de 61 anos, não é um padre de verdade, mas passou a assistir às partidas da equipe alvinegra depois que um improvável empate aconteceu em Itaquera num jogo disputado em novembro de 2014. 

Desde então, Moacir, que é católico, recebe pedidos inusitados para selar uniões em plena arquibancada, beijos nas mãos e bênçãos durante as partidas, além de muitas fotos - só no último jogo em Itaquera, marcado pela virada corintiana sobre o Bragantino, foram mais de cem poses.

O primeiro "milagre"

Moacir sempre foi um torcedor assíduo nos estádios em que o Corinthians joga. Na década de 1970, por exemplo, esteve na famigerada invasão corintiana ao Rio diante do Fluminense e também nos jogos que tiraram o time alvinegro de um jejum de quase 23 anos.

O 'Papa da Fiel', no entanto, começou a se tornar realidade somente na temporada 2014. "Eu estava com uma bandeira no ombro e deu essa aparência. Uma colega de trabalho viu uma foto e disse que parecia um padre", explicou Moacir em entrevista ao UOL Esporte.

Foi num jogo seguinte, contra o Coritiba, que o gerente de vendas decidiu colocar a fé em ação. Como sempre foi o padre nas festas juninas do seu prédio, Moacir tinha uma batina em casa. Depois de bordar o símbolo corintiano na peça, ele decidiu, então, levá-la ao estádio numa sacola. E só passou a usá-la quando o Corinthians passava por um momento difícil.

Acervo pessoal
'Papa da Fiel' em dia de mais um milagre

Com 2 a 0 contra no placar, o 'Papa da Fiel' apareceu pela primeira vez em Itaquera no intervalo do jogo. Em campo, o time alvinegro reagiu e empatou o jogo no último minuto. O personagem, então, foi adotado de vez por Moacir.

Na Arena, o torcedor ilustre costuma ficar no 'meio do povão', ao lado dos torcedores organizados, no Setor Norte do estádio. Lá, as mais diversas reações são presenciadas pelo torcedor. 

"O pessoal pede para eu benzer, beijar a mão das crianças. Teve um casal que quis uma união. Mas não tem nada disso, não", disse Moacir, que, sempre solícito, não recusa pedidos de fotos no estádio.

Diante do Bragantino, a estratégia dos torcedores deu certo mais uma vez. "Alguns pediram para eu rezar quando estava 0 a 0. Não demorou muito e saiu o primeiro gol", contou Moacir.

Mudar? Jamais

O desempenho do Corinthians foi tão bom a partir do surgimento do 'Papa da Fiel' que Moacir nem pensa em mudar o jeito de ir ao estádio apoiar o time. Certa vez, ele mudou as cores da vestimenta ao ser pressionado por alguns torcedores. Saiu a cor vermelha e entrou a preta para que a batina ficasse alvinegra.

A escolha, porém, não agradou ninguém e a combinação corintiana foi aposentada com apenas duas aparições. O motivo? O Corinthians perdeu os dois jogos em Itaquera.

"Também tem a preta, com dourado do lado. Justamente quando usei essa o time perdeu para o Vitória e o Atlético-GO na Arena. Então eu voltei para a vermelha", afirmou Moacir.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos