Guardiola diz que é injusto comparar movimento na Catalunha com o ETA

Do UOL, em São Paulo

O assunto era Manchester City, mas o técnico Pep Guardiola falou da situação política da Catalunha. Ex-jogador e ex-treinador do Barcelona, ele considerou injustas as comparações do movimento de independência da Catalunha com grupos terroristas. "Considero que é uma grande injustiça que nos comparem com Kale Borroka e com o ETA".

O Kale Borroka é uma guerrilha urbana que recorre a violência para buscar a independência do país basco. O ETA nasceu em 1959 para promover a cultura basca e se tornou um grupo paramilitar na década seguinte. Considerada uma organização terrorista pela União Europeia, é responsável para morte de 829 pessoas.

Guardiola ressaltou que o movimento de independência da Catalunha é diferente porque não apela para a violência. Ele lembrou que há fotos e imagens mostrando manifestações pacíficas de milhões de pessoas. "Estou com todas as pessoas que não querem o mal para os demais, nem para as famílias. Tudo que fizemos, 6 milhões de pessoas saindo às ruas estes anos de maneira pacífica. Quando dizem que somos causadores de violência estão totalmente equivocados".

A Catalunha vive momento político conturbado. Houve um referendo em outubro do ano passado e a independência foi vencedora. Mas a votação não era reconhecida pelo governo espanhol e foi ignorada pelos demais países da União Europeia.

O senado espanhol autorizou intervenção de Madri e o chefe do movimento separatista saiu do país. Mas Carles Puigdemont foi preso nesta semana na Alemanha. Ele pode ser extraditado para Espanha e responder por crime de rebelião. Em protesto contra prisão, manifestantes foram às ruas e a polícia precisou intervir.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos