Com moral, Cittadini vê Santos acelerar seu retorno para pegar Estudiantes

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ivan Storti/Santos

    Léo Cittadini sofreu lesão de grau na coxa esquerda há quase duas semanas

    Léo Cittadini sofreu lesão de grau na coxa esquerda há quase duas semanas

Eterno reserva nos últimos anos, o meia Léo Cittadini deu a volta por cima sob o comando do técnico Jair Ventura e virou titular do Santos, desbancando até o ídolo Renato da equipe titular. Com moral, o jogador faz trabalho intensivo de recuperação de lesão muscular na coxa esquerda para adiantar seu retorno aos gramados.

A lesão de Cittadini é chamada de grau 2 e, por isso, a previsão inicial de retorno seria de três semanas. No entanto, o departamento médico do clube acelerou o tratamento e viu o jogador "responder".

O meia já foi liberado para os trabalhos físicos no gramado e pode ser relacionado para o duelo contra o Estudiantes na próxima quinta-feira (5), na Argentina, válido pela terceira rodada da Copa Libertadores da América.

Cittadini virou titular no meio-campo santista e passou a ser o segundo volante do time de Jair Ventura. O treinador gosta de iniciar as jogadas trabalhadas no campo de defesa e, principalmente, com triangulações. Neste sistema de jogo, o meia joga de maneira mais "vertical" que o veterano Renato e, até por ser mais jovem, tem mais força para fazer infiltrações.

Não é à toa que Cittadini se tornou o terceiro jogador do Santos que mais sofreu faltas no Campeonato Paulista, com 17 infrações sofridas segundo o Footstats. Ele só fica atrás de Arthur Gomes, com 21 faltas, e Sasha, 19. Isso demonstra que o "jogo" tem passado por ele no meio-campo.

Defensivamente, o meia também não deixa a desejar. Cittadini é o terceiro atleta santista que mais desarmou no Paulistão. Foram 19 bolas roubadas em sete jogos. Alison é o primeiro, com 51 em 13 partidas, e Daniel Guedes o segundo, com 22 em 11 jogos.

Sem o camisa 10 de origem no elenco, Jair Ventura tem optado por atuar no esquema 4-1-4-1, pois este sistema de jogo facilita para que os volantes fiquem com a armação das jogadas, assim como Tite faz com Paulinho e Renato Augusto na seleção brasileira.

Jair Ventura já percebeu em treinamentos e jogos que Cittadini e também Vecchio não gostam de atuar como "meia centralizado", atrás do centroavante e de costas para o gol. Desta forma, o treinador "achou" a posição da revelação santista, que esquentou o banco de reservas com os últimos treinadores do Santos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos