Futmesa deixa de ser só brincadeira e já é adotado em treinos dos clubes

Lucas Pastore*

Do UOL, em São Paulo

O que começou em 2017 como proposta de entretenimento e possível modalidade esportiva tornou-se aliado de comissões técnicas de futebol em clubes profissionais. Trata-se do futmesa, jogo que já é utilizado como técnica para aquecimento e para treinos regenerativos.

Jogo que se popularizou principalmente nos últimos meses, o futmesa é uma espécie de mistura entre futebol, vôlei e tênis de mesa. É possível jogá-lo no um contra um ou em duplas. Após três toques na bola, é necessário colocá-la na metade oposta da mesa.

No Corinthians, a atividade já é utilizada em treinos regenerativos. O mesmo acontece no Internacional, que também utiliza o jogo para o aquecimento de seu elenco. Há uma mesa também no São Paulo, para recreação pré e pós-treino.

Divulgação
Andrés D'Alessandro, do Internacional, jogando futmesa no Beira-Rio

O sucesso do jogo no Brasil aconteceu no ano seguinte ao seu lançamento oficial no país. Inspirados em vídeo de Neymar, que aparecia praticando algo semelhante, os sócios Flávio Deleo e Juliano Alvizi, que também são proprietários de uma franquia de loja do Corinthians, decidiram abrir a empresa Futmesa Brasil.

A ideia original era criar uma liga brasileira da modalidade. No entanto, o grande número de pedidos de mesa fez com que a dupla mudasse o foco do negócio e passasse a comercializá-la. O triunfo em relação às versões europeias é um corte que torna o jogo mais simples para amadores.

"Tem uns cortes na mesa, umas entradas. Na hora de cabecear, fica mais perto da mesa. Com isso, Neymar pediu a mesa, levamos para ele em Mangaratiba no Natal. Levamos também para o Thiago Silva. A ideia era criar o esporte, mas tivemos uma demanda muito grande de mesas. Fizemos uma versão menor que a profissional e tivemos um custo muito alto. Agora, vamos começar a vender no mercado", contou Flávio, ao UOL Esporte.

O relacionamento dos sócios com o Corinthians por meio da franquia da loja Todo Poderoso Timão ajudou com que o clube fosse um dos primeiros a receber uma mesa. Além disso, a amizade de Juliano com Edu Gaspar fez com que o futmesa já chegasse também à seleção brasileira.

Divulgação
Mesa de futmesa no CT da seleção brasileira em Teresópolis

No centro de treinamento da Confederação Brasileira de Futebol na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), já há uma mesa, utilizada a princípio para recreação dos atletas. Além disso, Flávio e Juliano foram convidados pela Nike e fizeram parte do evento de lançamento do uniforme de 2018 da seleção, realizado no último domingo (25), em São Paulo (SP). Tudo isso no ano seguinte à fundação da empresa.

"Nosso projeto inicial já tinha incluído tudo isso, mas não esperava tudo tão rapidamente, principalmente na seleção. Meu sócio é amigo do Edu, que deu uma moral, e os jogadores ajudaram muito também", declarou Flávio.

O relacionamento dos sócios colabora para o sucesso do negócio. Flávio e Juliano se conhecem desde os 13 anos de idade. Os dois fazem tudo juntos desde então – até tirar o RG. A diferença entre o número dos documentos dos dois está apenas no último dígito.

O entrosamento também é mostrado na beira da mesa, já que os dois praticam o jogo que ajudam a popularizar no Brasil.

"A gente joga também. Ele é melhor no jiu-jitsu (risos). Mas o pessoal quer jogar tanto nos eventos que a gente deixa, acaba nem jogando, mais ajuda, começa, explica as regras", contou Flávio, referindo-se aos eventos que envolvem o jogo. 

* Colaboraram Bruno Grossi, Diego Salgado e Marinho Saldanha

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos