D'Alessandro pede paciência e admite superioridade de rivais do Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Marinho Saldanha/UOL

    D'Alessandro concede entrevista coletiva no CT do Inter e antevê o Brasileiro

    D'Alessandro concede entrevista coletiva no CT do Inter e antevê o Brasileiro

D'Alessandro entende o momento pelo qual passa o Inter. De volta à Série A, o clube de Porto Alegre passa por um período de reconstrução. Bem diferente do passado recente quando abria o Brasileiro sempre apontado entre os postulantes ao título. Desta forma, o capitão do time tomou a frente e pediu paciência da torcida.

"Somos conscientes de que a história do clube está em outro momento. O torcedor tem que entender isso. Que o Inter não é o Inter dos últimos anos que mandava nos jogos, que com 20 minutos estava ganhando. Temos que entender que precisamos mais, trabalhar mais, correr mais, marcar mais, nos doar, precisamos mais disso no primeiro momento. Queremos jogar bem, sair jogando como foi a prioridade desde o início. Igualar na competição para conseguir bater times que estão em outro momento", disse.

O Colorado deixou o Gauchão para trás eliminado nas quartas de final pelo Grêmio. Agora tem pela frente o Vitória pela Copa do Brasil em sua quarta-fase. Depois o Brasileiro aponta um duro início com jogos contra Bahia, Palmeiras, Grêmio, Flamengo e Cruzeiro.

"O torcedor tem que entender que o momento é outro. O grupo sabe disso. Vamos encarar cada jogo como se fosse uma guerra. Temos um mata-mata difícil, um começo de Brasileiro muito complicado. Mas vamos pegar times que jogam a Libertadores e temos que aproveitar isso. O Palmeiras também não joga Lucas Lima, mas joga o Guerra. E aí? Vamos fazer o que? Vamos enfrentar. Não é se apequenar, é saber que temos que trabalhar muito mais do que antes, sabendo que times têm elenco e estrutura melhor. Mais peças de troca e afrontar de igual para igual. No caminho certo, tomara que os resultados acompanhem", explicou.

Nas palavras de D'Ale, a análise que o Colorado irá brigar sem as mesmas possibilidades dos anos recentes. Agora precisa brigar para manter-se na elite.

"Não é se apequenar. É reconhecer quem está hoje num patamar acima do Brasileiro por qualidade, elenco, patrocínio, poder econômico. O Inter já esteve neste patamar, e nosso objetivo é voltar a ter um trabalho muito bom para sei lá quando, mas colocar o Inter de volta lá em cima e brigando por coisas importantes", afirmou. "Já fizemos o mais difícil, que era voltar para Série A. Agora temos que nos manter, o importante é se manter, manter o Inter no lugar que ele merece. Ir jogo após jogo, ver o jogo como uma batalha. Ser forte em casa, num campeonato longo como o Brasileiro, nossa campanha dentro de casa faz a diferença", completou.

O Internacional encara jogo-treino contra o São José-RS nesta quinta-feira. Será o último antes da volta aos jogos oficiais no próximo dia 11. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos