Juan concorda com dirigente sobre queda do Fla para Botafogo: "Vergonha"

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Gilvan de Souza/ Flamengo

    Juan concedeu entrevista coletiva no CT Ninho do Urubu após uma semana de silêncio

    Juan concedeu entrevista coletiva no CT Ninho do Urubu após uma semana de silêncio

Os jogadores do Flamengo ficaram em silêncio por uma semana após a eliminação para o Botafogo no Campeonato Carioca. Nesta quarta-feira (4), o experiente zagueiro Juan concedeu entrevista coletiva no CT Ninho do Urubu. O tema foi a crise no Rubro-negro e o futuro do comando técnico.

As críticas do vice-presidente de futebol Ricardo Lomba, que definiu a queda no Estadual como uma "vergonha absurda", encontraram eco na análise do defensor.

"A vergonha também é o nosso sentimento. Não desmerecendo o Botafogo. Dentro das qualidades e objetivos, chegar à final do Carioca era o que desejávamos. A eliminação aconteceu, mas o regulamento do Campeonato dá essa possibilidade. Estávamos no Maracanã, a nossa casa, com a torcida em maior número e falhamos. Concordamos com o que foi dito", afirmou.

Outro ponto abordado pelo dirigente, no entanto, não foi bem recebido pelos atletas. Ao citar o termo "correr menos", Lomba deixou os jogadores chateados. Uma reunião foi realizada após um pedido do dirigente para contornar os danos.

"Todo mundo sabe das declarações do Lomba. A reunião partiu dele para esclarecer o assunto. Foi um encontro de nível e tranquilo. Nos cobramos muito internamente. As pessoas não pensam isso, mas faz parte do nosso dia a dia. Foi importante para colocar um fim na polêmica criada. Alguns jogadores falaram. Eu, Réver, Diego, Júlio César, os mais experientes. Aceitamos a hierarquia, mas não concordamos com aquela história de que o time correu menos", disse.

"Somos monitorados por GPS em treinos e jogos. Corremos mais até do que no jogo contra o Emelec, um exemplo que todo mundo dá de boa atuação do Flamengo. Ele entendeu a situação e nos respeitamos. Acontece. Todos estavam tristes e de cabeça quente", completou.

Sobre o técnico que substituirá Paulo César Carpegiani, Juan não manifestou preferência - apesar de ter sido questionado sobre Renato Gaúcho. O zagueiro deixou claro apenas que os jogadores desejam dar a volta por cima.

"O Renato é um grande treinador, o melhor da América do Sul. Mas estamos com a cabeça voltada ao trabalho independentemente do técnico que virá. O grupo quer corrigir os erros com A, B ou C. A torcida está carente e exige um título de expressão. As críticas acontecerão até esse dia chegar. O caminho é esse. Algo que estamos fazendo desde o ano passado", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos