Vital para o City, Fernandinho festeja mão na 2ª taça do Inglês: "Saudades"

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Manchester (ING)

  • Phil Noble/Reuters

A derrota acachapante para o Liverpool, por 3 a 0, em Anfield, na última quarta-feira (4), deixou o Manchester City mais longe da semifinal da Liga dos Campeões, mas o resultado arrasador não deve ofuscar a campanha incontestável da equipe na Premier League.

Com recorde de aproveitamento na história de todo o Campeonato Inglês, não só na era moderna, com o surgimento da liga em 1992, e também com outras marcas significativas no horizonte, o City está a apenas uma vitória de se consagrar campeão da Inglaterra. A festa pode acontecer em grande estilo, com um convidado de honra: no sábado, o Estádio Etihad receberá o clássico de Manchester, e a coroação contra o United seria perfeita para os Citizens.

O belga Kevin De Bruyne é o protagonista da campanha e rivaliza com o egípcio Mohamed Salah, do Liverpool, a disputa por prêmios individuais no contexto de todo o calendário do país. Um brasileiro, no entanto, é visto como imprescindível por Josep Guardiola.

"Sem Fernandinho, nada que alcançamos até agora seria possível", sentenciou o catalão, em mais um reconhecimento público ao meio-campista, muito elogiado desde que os dois começaram a trabalhar juntos, em julho de 2016. "Ele é um capitão de verdade mesmo. Está sempre pronto para o que o time precisa e nunca se esconde. Pode jogar bem ou mal, mas está sempre lá para a equipe".

Na hierarquia dos líderes do elenco, o meia da seleção brasileira só está abaixo de Vincent Kompany e David Silva, ídolos indiscutíveis do clube. Se nenhum dos dois está em campo, a braçadeira fica a cargo de Fernandinho, muito influente não só dentro de campo, pela qualidade técnica e grande capacidade de leitura de jogo, mas também fora das quatro linhas e nos bastidores do time.

A postura extremamente profissional e o pensamento no bem-estar do coletivo fazem de Fernandinho uma das vozes mais ouvidas no vestiário.

"Faço de tudo para ajudar. Coloco sempre meus companheiros em primeiro lugar, acima das minhas vontades", explica o camisa 25, antes de revelar a origem de tal comportamento. "Fui acostumado assim desde que era jovem. Consegui as coisas sendo assim, não seria agora que teria motivos para mudar", disse ele, que desde pequeno tinha a responsabilidade de cuidar das irmãs mais novas em Londrina (PR) enquanto os pais, separados, trabalhavam pelo sustento dos filhos.

Na quinta temporada em Manchester e aos 32 anos, Fernandinho se vê com a mão na sua segunda taça de Premier League. O primeiro título aconteceu no ano de estreia, em 2013/14.

"Estou com saudades (de ser campeão inglês). Estamos próximos da conquista, mas falta um trabalho a ser feito no sábado, com possibilidade real de ser campeão. Serei feliz por isso, mas ainda mais pelos jogadores que vão vencer pela primeira vez: o Kyle (Walker), Sterling, o Stones, o Gabriel Jesus, Ederson, Danilo. Eles vão poder sentir o gostinho de ganhar o Inglês, que é um dos melhores campeonatos do mundo".

Com 225 jogos e 20 gols, o meio-campista também ergueu três troféus da Copa da Liga, o último deles em fevereiro passado, diante do Arsenal. No fim de semana, ele pode acrescentar mais uma peça ao hall de conquistas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos