Apesar de rixa, Cruzeiro é quem mais gerou receita para federação em 2018

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Torcida do Cruzeiro lotou os jogos ocorridos no Mineirão

    Torcida do Cruzeiro lotou os jogos ocorridos no Mineirão

Cruzeiro e Federação Mineira de Futebol (FMF) têm uma rixa antiga. O clube se sente desfavorecido em algumas escolhas da entidade, sobretudo na gestão de Castellar Neto. O curioso, no entanto, é que o clube celeste foi quem mais gerou receita para o órgão em 2018.

A federação recebe 10% da receita bruta de cada partida disputada no Estadual. A Raposa contabiliza oito compromissos como mandante na atual edição do Campeonato Mineiro e já teve uma receita de R$ 3.285.880,50. O valor retido pela Federação Mineira de Futebol é de R$ 328.588,05.

Neste domingo (8), o Cruzeiro ainda entrará em campo como mandante em mais um jogo do torneio. A equipe comandada por Mano Menezes disputará a final diante do arquirrival Atlético-MG às 16h (de Brasília) no Mineirão.

O Galo, segundo colocado nesta lista, faturou R$ 1.984.980,00 em renda de bilheteria nos oito jogos que fez como mandante no Mineiro. O clube repassou, portanto, à FMF R$ 194.498,00.

Embora tenha sido a principal fonte de receita neste início de temporada, o Cruzeiro ainda tem algumas rusgas com a entidade. A mais recente delas é devido ao trio de arbitragem do jogo de ida da decisão do Estadual.

A FMF aceitou a presença de Dewson Fernando Freitas (Fifa/PA) no sorteio e irritou o vice de futebol Itair Machado. O árbitro acabou escolhido e apitou o confronto ocorrido no estádio Independência.

Ao término do jogo, a diretoria do Cruzeiro disparou contra a federação por conta da participação do juiz no sorteio do clássico e prometeu tomar providências contra a Federação Mineira de Futebol ao término da competição.

"Quando você pede para não colocar um árbitro, sendo que quem paga é o clube. A pessoa vai e coloca o árbitro assim mesmo ou não trabalha para não colocar, a gente considera isso desrespeito. Vocês vão ficar sabendo [das providências que vamos tomar] depois dos campeonatos", disse Itair Machado.

Mesmo que esta tenha sido a primeira declaração pública da atual gestão contra a FMF, a rixa entre as partes é antiga. Logo após a eleição de Castellar Neto, a antiga diretoria do Cruzeiro se incomodou. O fato de o advogado que preside o órgão ser torcedor do Atlético foi o primeiro ponto de indignação. A situação piorou com o passar dos anos por conta das escolhas de árbitros e medidas que foram vistas como favoráveis ao arquirrival.

Ao assumir a vice-presidência de futebol do Cruzeiro, Itair Machado adotou um discurso conciliador. O problema é que a escolha da arbitragem na final trouxe à tona novamente o problema entre as instituições.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos