Inter define exemplo de atuação para ser 'forte em casa' no Brasileiro

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Colorado quer usar Gre-Nal 415 como parâmetro para jogos em casa no Brasileirão

    Colorado quer usar Gre-Nal 415 como parâmetro para jogos em casa no Brasileirão

O Internacional tem um exemplo a seguir para fazer um bom Campeonato Brasileiro. O Colorado definiu a partida contra o Grêmio, vitória por 2 a 0, como molde para atuações em casa. Baseada nela, o clube imagina conseguir fazer da campanha como mandante a base para pontuação no Brasileirão.

A ideia de gerar um parâmetro se insere dentro da leitura de que a missão do Inter neste ano é garantir permanência na Série A. E esse objetivo passa pelo desempenho no Beira-Rio.

"Temos um parâmetro bem claro de atuação. É do Gre-Nal que temos de partir. Em termos táticos, técnicos, físicos, anímicos. O parâmetro é aquele. Esperamos contra o Vitória ter, no mínimo, aquilo", apontou Odair Hellmann, treinador do Inter.

Não será possível manter a mesma intensidade daquele clássico, contudo. O capitão D'Alessandro entende que vários fatores serviram para que naquela oportunidade o time jogasse 100% durante os 90 minutos. Mas ainda assim é possível fazer semelhante para construir campanha em casa.

"É impossível (manter a mesma intensidade). De fato o Gre-Nal é diferente. Tem vários componentes fora neste jogo, você tira o que não tem de dentro. O resultado negativo, o mata-mata, tudo que representava o jogo. Ganhar o Gre-Nal e depois pensar na classificação. Entregar alguma coisa para o torcedor. E depois tudo nos deu forças. Não jogamos na loucura, só ir para cima e ver o que acontece, fizemos um jogo equilibrado, marcamos forte. Recuamos um pouco, mas não uma marcação baixa como fizemos no jogo da Arena. O objetivo é este. Não só contra times grandes, disse ele, que prosseguiu.

"Eu aprendi isso jogando e sendo colega de vários ídolos que passaram por aqui: o Inter tem que jogar pressionando. O Inter não sabe esperar. Tem que ter equilíbrio, mas jogar pressionando. Caso contrário não se dá bem. Em casa temos que pegar este jogo como exemplo e tentar chegar o mais perto possível. Merecíamos ter empatado (o placar agregado em 3 a 3). No mínimo. Mas o resultado não veio. São aprendizados que vamos tendo. Mas fica o exemplo para o que vai vir na frente", afirmou.

O Colorado determina, ainda, os jogos em casa como base para campanha. Sendo forte no Beira-Rio, o objetivo de ter um Brasileiro sem maiores percalços pode ser atingido ao longo do restante do ano.

"É muito difícil traçar metas. Temos que ir jogo a jogo, começar ganhando em casa. É um time difícil (Bahia), tem um técnico que nos conhece muito bem, trabalhou conosco (Guto Ferreira). Depois vem uma sequência complicada com Palmeiras, Cruzeiro, Flamengo e Grêmio. Se eu tiver que citar, obviamente tem alguns dos melhores times do Brasil nesta sequência. Mas trabalharemos para, primeiro, saber o que temos que fazer, depois ver o momento do adversário também. Vão ter Libertadores? Vão ter quatro dias de descanso? Quantos nós teremos? Com o decorrer do jogo vamos ver isso. Mas é confrontar de igual para igual. Precisamos ser fortes em casa, vencer em casa, assim teremos uma situação melhor", acrescentou D'Ale.

O Colorado volta a disputar jogos oficiais na próxima quarta-feira. O adversário será o Vitória, no Beira-Rio, pela quarta fase da Copa do Brasil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos