Jair tem folga de 8 dias pra fazer testes e definir meio-campo do Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ivan Storti/Santos FC

    Técnico Jair Ventura ainda precisa definir duas posições no meio-campo santista

    Técnico Jair Ventura ainda precisa definir duas posições no meio-campo santista

O Santos terá uma nova brecha no calendário antes de sua próxima partida, contra o Ceará, no próximo dia 14, válido pelo Campeonato Brasileiro. O período de oito dias sem jogos dará ao técnico Jair Ventura a oportunidade de realizar novos testes para, enfim, tentar definir o meio de campo ideal da equipe. O setor é considerado o mais frágil e indefinido.

Alison, Renato e Jean Mota foram os escolhidos para a vitória por 1 a 0 diante do Estudiantes, na última quinta-feira (5), em Quilmes. Destes, porém, somente o primeiro tem vaga assegurada com Jair.

Renato, o mais experiente, tem a constante sombra de Léo Cittadini. O período sem jogos servirá para definir entre os dois em plenas condições físicas já que Cittadini passou por problemas musculares recentemente e só retornou como opção de segundo tempo na última partida.

A vaga de Jean Mota ainda desperta maiores atenções. Jair já testou uma série de alternativas, mas nenhuma conseguiu convencer. O treinador ainda externou publicamente o desejo de contar com um típico camisa 10

"Fica evidente [que há problema no setor]. Estamos buscando um camisa 10. O Jean, Vecchio, Vitor Bueno, eles estão tentando segurar a 10. Eu brinco com eles, brinquei com o Vecchio, tem de ser o cara para ser titular absoluto. Enquanto não achamos o ideal, vamos buscar. O Diogo Vitor entrou bem pelo meio, com característica diferente. Queria esse poder pelo meio ", disse o treinador.

Os testes de Jair para encontrar o meio de campo ideal ainda não se encerraram. Em entrevista ao UOL, o treinador comentou que estuda a possibilidade de testar até mesmo o lateral esquerd Dodô no meio de campo. Além dele, Victor Ferraz, que perdeu espaço com a série de boas atuações de Daniel Guedes, também pode ser uma opção.

"Pode haver essa variação, sim, até mesmo dentro de um jogo por características de outros jogadores. É uma coisa que já pensamos", disse o treinador.

Ferraz já foi testado na função de armador ao longo de algumas partidas com Dorival Júnior como técnico.

Diferente do meio de campo, os demais setores tem agradado ao técnico Jair Ventura. O ataque, por exemplo, responde com as boas fases de Rodrygo, Arthur Gomes e, principalmente, de Eduardo Sasha, artilheiro da equipe na temporada com seis gols.

Mais uma vez sem Gabriel, suspenso pela expulsão na vitória contra o Nacional-URU, na rodada anterior, Arthur foi decisivo diante do Estudiantes, marcando o gol da vitória. A jogada foi construída em contra-ataque rápido, marcada por uma tabela entre os atacantes.

Rodrygo também teve atuação importante contra os uruguaios, desafogando o Santos com um gol enquanto a equipe vencia por 1 a 0. Além disso, deixou o seu primeiro gol em clássicos no segundo jogo da semifinal contra o Palmeiras. A equipe, portanto, descentralizou o jogo em seu principal jogador.

Dos 23 gols marcados pelo Santos na temporada, somente dois não saíram de sua linha de frente, marcados pelo zagueiro Lucas Veríssimo e pelo volante Renato.

A linha defensiva também não preocupa Jair pelas boas fases vividas por seus laterais, além da dupla formada por David Braz e Veríssimo. O goleiro Vanderlei também vive excelente momento e teve atuação decisiva na vitória santista em solo argentino.

A única baixa de Jair segue sendo o atacante Bruno Henrique, que trata de lesão no olho direito e viajará para exames na Alemanha. Jair já admitiu ser fã do jogador, mas ainda não sabe quando poderá contar com o camisa 11.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos