Fifa cogita reduzir ou até proibir empréstimos de jogadores, diz revista

Do UOL, em São Paulo

  • Philipp Schmidli/Getty Images

    Victor Montagliani, vice-presidente da Fifa

    Victor Montagliani, vice-presidente da Fifa

De acordo com reportagem da revista francesa "France Football", a Fifa pensa em criar regras para limitar empréstimos de jogadores no futebol ou até mesmo proibi-los. O grande número de transferências do tipo feitas por grandes clubes do futebol europeu serve como gatilho da discussão.

A princípio, os empréstimos foram criados para que jovens jogadores oriundos das categorias de base dos clubes pudessem ter minutos em outros com fim de desenvolvimento. No entanto, nas últimas temporadas, esse tipo de transferência se tornou uma lucrativa indústria para quem tem dinheiro o bastante para contratar promessas e depois cedê-las com valor fixado para venda.

Nesta temporada, a Juventus tem 41 jogadores emprestados, contra 27 da Udinese, 22 do Chelsea, 18 do Manchester City e 11 do Monaco, por exemplo.

A possibilidade de restringir ou proibir empréstimos foi discutida em reuniões realizadas em Zurique. Victor Montagliani, vice-presidente da Fifa, conversou sobre o assunto com representantes da Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro), da Associação Europeias de Clubes (ECA) e do Fórum Mundial de Futebol.

Também foram ouvidos nas conversas ex-jogadores como o brasileiro Cafu e os holandeses Edwin van der Sar e Marco van Basten.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos