T. Neves fala de Seleção e cita "dorzinha" por tanto tempo no mundo árabe

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Contratado no ano passado, Thiago Neves é um dos principais nomes do Cruzeiro

    Contratado no ano passado, Thiago Neves é um dos principais nomes do Cruzeiro

Apesar de usar a 30, Thiago Neves é uma das referências quando se fala em camisa 10 no futebol brasileiro. Principal organizador de jogadas do Cruzeiro, o meia mostrou ser mais uma vez iluminado e foi um dos responsáveis pelo título mineiro do último domingo. Cada vez mais em alta, apesar dos 33 anos, o jogador não descarta um dia voltar a ter chances de vestir a amarelinha novamente, mas vê o sonho distante quando se trata de Copa do Mundo e revela um certo arrependimento por ter passado tanto tempo fora.

Em entrevista ao canal Sportv, Thiago Neves falou sobre seus planos para a temporada no Cruzeiro e as chances de um dia voltar a vestir a camisa da Seleção. Questionado sobre a Copa do Mundo, o meia acredita não ser mais possível achar uma vaguinha, mas se coloca à disposição de Tite.

"Acho que a Seleção já está muito definida do meio para frente. As dúvidas, na minha opinião, devem ser para o setor defensivo. Tem muita gente boa do meio para frente. Óbvio que você sempre fica avaliando se ele leva o Diego, o Lucas Lima, será que eu poderia entrar ali porque minha fase é melhor do que a desse ou daquele. Mas a opção é dele e estarei sempre à disposição para servir a Seleção no momento em que ele me chamar", disse.

Revelado no Paraná, Thiago Neves foi projetado para a Europa jogando pelo Fluminense. De lá, foi para o Hamburgo, da Alemanha, mas deixou o clube para iniciar sua trajetória no mundo árabe. Ao escolher defender o Al-Hilal e depois o Al-Jazira, Neves sabia que poderia estar fechando suas portas para a Seleção Brasileira.

"Hoje, se eu mereço uma vaga, eu não sei. Como eu falei, tem vários jogadores. Mas eu sinto uma dorzinha por ter ido ao mundo árabe há um tempo atrás e ter aberto mão da Seleção. Então, sinto que, no fundo, se eu não tivesse tomado essa decisão, não sei se hoje estaria na Seleção, mas acho que brigando ali por uma vaga na Copa do Mundo, estaria", disse.

Em 2017, quando voltou ao Cruzeiro, Neves encerrou uma trajetória de cinco anos no exterior. Em seu primeiro ano, mostrou a que veio e terminou a temporada como principal jogador do time e campeão da Copa do Brasil. Cinco meses mais tarde, levantou sua segunda taça na Toca, marcando o gol da vitória contra o Atlético e sagrando-se campeão mineiro de 2018.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos