Topo

Futebol


São Paulo reencontra torcida para reatar casamento do Brasileirão

Rubens Chiri/saopaulofc.net
Tricolor teve média de público de mais de 35 mil presentes no Brasileirão de 2017 Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

2018-04-16T04:00:00

16/04/2018 04h00

Nesta segunda-feira, o São Paulo inicia sua trajetória no Campeonato Brasileiro enfrentando o Paraná Clube, às 20h, no Morumbi. Será o primeiro jogo em casa do Tricolor de quase um mês. Um reencontro da torcida, responsável por empurrar o clube contra o rebaixamento à Série B do ano passado, com um time que ganhou um caráter mais aguerrido nas últimas partidas.

Depois das semifinais do Campeonato Paulista e, principalmente, do confronto com o Rosario Central pela Copa Sul-Americana, os torcedores valorizaram a entrega dos atletas. Mas já são três duelos sem vitórias são-paulinas na temporada - duas derrotas e um empate - e largar bem no Brasileirão é visto como obrigação, até para evitar novo drama como os vividos em 2013, 2016 e 2017.

Ainda assim, a diretoria confia que terá bom público no Morumbi nesta noite, contra o Paraná. No ano passado, a média de público do Tricolor na Série A foi de mais de 35 mil torcedores. No ano, a média quebrou a casa dos 33 mil e dois recordes para o clube: pela primeira vez sem nenhuma partida para menos de dez mil pessoas e com média acima de 30 mil. 

Há, no entanto, uma insatisfação com os novos preços praticados pelos dirigentes. Comparando arquibancadas atrás dos gols e laterais, respectivamente, os valores saíram de R$ 20 e R$ 30 para R$ 30 e R$ 50. O aumento enfrentou resistência até internamente no São Paulo, mas foi aprovado para atender as necessidades financeiras do clube. 

"A torcida é a maior responsável por termos ficado na Série A. O apoio deles foi fundamental, diferentemente de outros clubes em que os torcedores abandonaram. A torcida foi sensacional. Mas isso teve um custo para o clube, como um ticket médio mais baixo de São Paulo, 70% menor que os rivais (Corinthians e Palmeiras), e entre os menores do país também. Eu, sinceramente, não vejo esse valor como exorbitante. E é próximo do que já estava sendo cobrado no Paulistão e na Copa do Brasil", explica o diretor-executivo financeiro, Elias Barquete Albarello.

O São Paulo acredita que, assim, há chances do programa Sócio-Torcedor ganhar novas adesões, já que o preço dos ingressos tem grandes descontos para os participantes. Os dirigentes reconhecem, porém, que a melhor fórmula para que o Morumbi volte a ter uma média de público alta é qualificando o elenco e conquistando resultados em campo.

Mais Futebol