Possível rival do PSG em final é amador e vive à sombra de parque temático

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

  • Loic Venance/Pool/Reuters

O conto de fadas virou realidade para o Vendée Les Herbiers Football, desconhecido time da terceira divisão que jogará a final da Copa da França. Já é uma conquista extraordinária para um clube amador, cujo maior feito em 98 anos era ter estado entre os 16 melhores desta mesma competição. Agora, está entre os dois melhores. O feito épico chega ao clímax em 8 de maio, no Stade de France, onde o Davi francês encontra seu Golias: Caen ou Paris Saint-Germain.

Improvável e carente de taças, a trajetória do Les Herbiers começou na fundação em 1920. O time venceu o primeiro título regional três décadas depois e demorou até os anos 1970 para estrear em competições nacionais. A partir da década seguinte, o clube viveu completamente fora dos holofotes, entre promoções e rebaixamentos da quarta para quinta divisões francesas. Foram várias fundições e mudanças de nome até este momento.

À parte a faísca de glória em 2000, quando jogou as oitavas de final da Copa da França, o Les  Herbiers continuou caindo e subindo de divisão. Consolidou-se na quarta divisão apenas em 2008, cinco anos antes de vencer um adversário profissional pela primeira vez — o Tours, da Ligue 2. De 2015 para cá as coisas melhoraram: acesso à terceirona, retorno às oitavas da Copa da França no ano passado, e agora a mais do que inédita presença na final. Em 101 edições, é a quinta vez que um time amador chega à decisão do torneio.

LOIC VENANCE/AFP
Jogadores do Les Herbiers celebram maior feito da história do clube até aqui

O clube leva o nome do distrito de Les Herbiers, que é lar de cerca de 16 mil franceses no departamento de Vendée, no oeste da França. A comunidade é bastante conhecida no país, mas não pelo futebol. A quinze minutos do estádio de Les Herbiers fica o Puy Du Fou, um parque temático histórico que encena batalhas da Idade Média e já foi eleito o melhor do mundo.

No parque, os shows mais procurados envolvem camponeses que defendem suas aldeias contra invasores infinitamente mais poderosos, como Império Romano ou vikings. A epopeia do mais fraco que resiste como pode ao mais forte. Uma coincidência, é claro.

O time de futebol mais famoso da região é o FC Nantes, da Ligue 1, que nesta temporada teve papel importante na história do Les Herbiers. Neste conto de Cinderela, o Nantes ofereceu seu palácio. É ele o dono do Stade de la Beaujoire, palco onde o vizinho desconhecido jogou as partidas de quartas e semifinal da Copa da França. As sedes das equipes ficam distantes cerca de 80 quilômetros.

LOIC VENANCE/AFP
Torcida do Les Herbiers faz festa no Stade de la Beaujoir na semifinal da Copa da França

A mudança de estádio se deu por força de regulamento. Os 5 mil lugares do Massabielle, casa dos Herbiers, não seriam suficientes em fases tão avançadas da Copa da França. Mais de 20 mil pessoas viram o time amador eliminar o tradicional Lens em fevereiro, e o número subiu para 34.653 no duelo com o Chambly, outro desconhecido da terceira divisão. O público da semifinal de terça-feira (17) foi o maior do estádio nesta temporada, superando Nantes x PSG, por exemplo.

O curioso é que o agora finalista arrasta multidões sem ter jogado em sua cidade uma vez sequer nesta edição de Copa da França. O Les Herbiers foi visitante nas três primeiras fases, depois mandou partidas em Nantes, e agora marca na agenda um compromisso no Stade de France.

Em seu caminho, o Les Herbiers eliminou dois adversários da quinta divisão (Angoulême e Saint-Lô Manche), dois da Ligue 2 (Auxerre e Lens) e na semifinal tirou o Chambly, também da terceira divisão. E se alguém tentar desmerecer o feito por não haver rivais "de primeira" nesta lista, não se preocupe: o time amador terá sua chance de destronar o principal time da elite em 8 de maio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos