Diretores do PSG vão à Uefa defender o clube sobre o fair play financeiro

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / Fabrice COFFRINI

    Dirigentes do PSG chegam à sede da Uefa

    Dirigentes do PSG chegam à sede da Uefa

A cúpula do PSG esteve nesta sexta-feira (20) na sede da Uefa, em Nyon, na Suíça, para se defender da investigação sobre o fair play financeiro. A entidade máxima do futebol europeu abriu uma investigação pouco tempo após o clube francês desembolsar 222 milhões de euros para contratar Neymar.

De acordo com o "L'Equipe", a diretoria do PSG esteve no local durante três horas e saiu sem dar entrevistas. Um porta-voz da Uefa afirmou que a decisão deve ser anunciada no início de junho.

Segundo o "Financial Times", as primeiras investigações feitas pela Uefa concluem que o PSG teria superestimado o valor de seus patrocínios para poder contratar Neymar e Mbappé.

O PSG diz ter uma receita anual de cerca de 500 milhões de euros. Pelas regras, o clube pode gastar na temporada até 5% mais do que isso – algo em torno de 520 a 550 milhões de euros, incluídos entre essas despesas todos os gastos com o time, contratações, salários, luvas, premiações e outros. Com um aporte dos donos, esse número poderia aumentar para cerca de 650 milhões de euros, no máximo.

Antes da temporada, o PSG contratou Neymar por 222 milhões de euros e Yuri Berchiche por 16. Além disso, fechou com Mbappé por empréstimo com valor de compra fixado em 180 milhões de euros ao fim da campanha do clube.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos