Travado de novo por retranca, Carille aposta em Roger como "novo Jô"

Do UOL, em São Paulo

O Corinthians voltou a encontrar dificuldades diante de uma equipe fechada. Travado diante de um Vitória com uma marcação intensa, o time alvinegro, novamente escalado no esquema sem centroavante, criou poucas chances de gols no Barradão e levou um empate por 0 a 0 para a partida de volta em Itaquera.

O técnico Fábio Carille, embora tenha visto o resultado com bons olhos, admitiu que o Corinthians voltou a sentir falta de um jogador mais avançado, na referência do ataque. Rodriguinho, em alguns momentos do jogo, desempenhou a função, mas não conseguiu brilhar como nos últimos jogos.

Diante desse cenário, o comandante corintiano chegou a mencionar o nome do recém-contratado para a vaga de Jô. Roger, de acordo com Carille, estará no banco de reservas no próximo domingo, na partida contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Roger pode estrear contra o Atlético-MG

"Hoje talvez faltou uma referência. A gente busca a cada jogo. Por isso a chegada do Roger vai ser importante, ele pode entrar ou iniciar as partidas, ficando no meio dos zagueiros, como era o papel que era do Jô no ano passado", disse Carille após o empate do Corinthians fora de casa.

A situação vivida pelo Corinthians não é nova e se tornou frequente após a saída de Jô. Até mesmo nas fases mais agudas do Campeonato Paulista a equipe se viu sem repertório contra times com a mesma proposta do Vitória - na primeira final do Estadual, por exemplo, a marcação intensa do rival também travou o time de Carille ao anular Rodriguinho no meio-campo.

Sem Jô, o Corinthians perdeu uma jogada explorada ao extremo na temporada 2017. Artilheiro da equipe com 25 gols marcados, o atacante que hoje defende o Nagoya Grampus, do Japão, tinha um bom desempenho também nas bolas altas lançadas ao campo de ataque. Em diversas ocasiões, após o leve desvio de Jô, o Corinthians conseguiu criar oportunidades de gol.

Exceção à regra

Na partida contra o Paraná, que terminou com vitória corintiana por 4 a 0, o time de Carille soube aproveitar bem os espaços deixados por um time que se lançou ao ataque desde os primeiros minutos. No contra-ataque, então, o Corinthians se mostrou letal novamente e construiu o seu maior placar da temporada com gols marcados após bolas trabalhadas e finalizações na área do rival.

Carille, apesar da necessidade de ter mais uma opção em jogos truncados, voltou a frisar que a ideia não é escalar Roger como titular antes da parada da Copa do Mundo, pois o centroavante alvinegro não poderá atuar na fase de grupos da Libertadores.

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Rodriguinho foi novamente bem marcado e teve poucas chances diante do Vitória

"Também não poderá jogar a Copa do Brasil, se a gente avançar. Mas com certeza ele vai para o banco no jogo [contra o Atlético-MG]. É uma opção de frente, mas iniciar ainda não. Ali na frente é um jogador com quem o Corinthians sabe jogar. Dos 11 últimos títulos, só dois não tiveram um camisa 9, o Paulista deste ano e a Libertadores de 2012. Ele está treinando com vontade, entende o que é o Corinthians, logo estará jogando", frisou Carille.

O Corinthians decide a vaga nas quartas de final da Copa do Brasil no próximo dia 9, em Itaquera. Antes, a equipe enfrentará o Atlético-MG pelo Brasileirão, o Independiente-ARG pela Libertadores e o Ceará novamente pelo Nacional. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos