Atlético-PR faz jogo duro, SP não quer gastar e Marcos Guilherme deve sair

Bruno Grossi, José Eduardo Martins e Napoleão de Almeida

Do UOL, em São Paulo

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Marcos Guilherme não deve permanecer no São Paulo neste segundo semestre

    Marcos Guilherme não deve permanecer no São Paulo neste segundo semestre

O futuro de Marcos Guilherme parece ser longe do São Paulo. Dono dos direitos do atacante, o Atlético-PR faz jogo duro na negociação e o caminho mais provável é o da negociação de transferência para outro clube. Oficialmente, o jogador está emprestado ao Tricolor até o dia 30 de junho de 2018. Quando foi liberado pelos paranaenses para assinar o vínculo com o time do Morumbi em 2017, no entanto, ficou apalavrado que ele poderia ficar na equipe paulista até o fim deste ano. Nos últimos dias, os dirigentes do Atlético-PR, porém, já deram diversos sinais de que não vão cumprir com o combinado.

Por isso, para o São Paulo seguir com o jogador em seu elenco, teria de desembolsar 3 milhões de euros (R$ 12,6 milhões), referentes aos 50% dos direitos do atleta. Segundo apurou o UOL Esporte, o Tricolor não tem a intenção de pagar tal quantia neste momento. Até mesmo por questão de honra, os paulistas querem fazer valer o que foi definido em 2017 para, quem sabe, contratar o atacante em definitivo em dezembro. Para fechar o empréstimo no ano passado, o São Paulo pagou R$ 1,4 milhão.

Como o Atlético-PR não deve mudar sua postura, o jogador deve retornar para Curitiba em julho, mas o clima com a torcida e a diretoria não são os mais favoráveis para ele ser aproveitado no elenco de Fernando Diniz. Para completar, os dirigentes paranaenses enxergam em Marcos Guilherme uma boa oportunidade para reforçar o caixa. 

Ciente de toda a situação, Marcos Guilherme está chateado com a diretoria do São Paulo, pois gostaria de ver o clube fazer um esforço maior para contratá-lo. O atacante sempre que possível declara ser torcedor do Tricolor e já manifestou também o desejo de permanecer no Morumbi. Titular absoluto na equipe comandada por Dorival Júnior, ele ficou fora do time nos últimos dois confrontos (contra Atlético-PR e Paraná) por decisão da comissão técnica chefiada por Diego Aguirre.

Para não prejudicar o jogador, caso a situação não seja definida em breve, a diretoria também não pretende deixar ele ser utilizado em mais do que seis jogos do Campeonato Brasileiro - sendo o limite de sete jogos para um atleta disputar por um clube na competição antes de se transferir. Desta maneira, ele poderá ficar livre para defender outra equipe no torneio.   

Apresentado em julho de 2017 após passagem pelo Dínamo Zagreb, da Croácia, o jogador, de 22 anos, disputou 44 partidas com a camisa do São Paulo e marcou nove gols. Em sua carreira, ele também acumula jogos pelas seleções de base pelo Atlético-PR.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos