Edilson fala em voltar ao Grêmio. Mas muda tom e se desculpa com o Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Edilson, lateral direito do Cruzeiro, está no clube desde janeiro de 2018

    Edilson, lateral direito do Cruzeiro, está no clube desde janeiro de 2018

Uma declaração de Edilson ao programa Bola nas Costas, da Rádio Atlântida, repercutiu negativamente no Cruzeiro. O atleta disse que espera voltar ao Grêmio o mais rápido possível na entrevista. Hoje, ele divulgou um vídeo para falar sobre o caso e se desculpou com o atual clube.

Na entrevista veiculada pelo programa gaúcho, o lateral direito explicou por que optou pela transferência à Toca da Raposa II.

"Foi uma coisa que, tinha 31 anos, e recebi uma proposta muito boa. A maior da minha vida, a maior de um lateral no futebol brasileiro, eu acho. O carinho e a gratidão pelo Grêmio são eternos, mas espero que eu volte o mais rápido possível, porque aqui realmente é a minha casa", afirmou.

Logo após a repercussão negativa, o jogador de 31 anos pediu desculpas aos cruzeirenses por meio de suas redes sociais. O jogador ainda criticou a postura de divulgar apenas uma parte da entrevista.

"Queria deixar uma mensagem para todos os torcedores do Cruzeiro que foi vazado um vídeo, o qual mostraram uma parte e não mostraram a outra. Eu fui muito bem recebido pela torcida do Cruzeiro, tenho muito respeito e isso é recíproco. Tento mostrar isso em campo. Vamos criar um vínculo maior e conquistar mais títulos no meu tempo de contrato. Se fui para aí é porque tinha vontade de jogar no Cruzeiro. Dizer que é uma felicidade gigante estar com a torcida, sentir o calor da torcida. Só explicar isso aí, porque às vezes eles postam umas coisas e deixam de postar outras coisas que a gente falou", comentou.

Contratado no início deste ano, Edilson assinou com o Cruzeiro até dezembro de 2020. Os mineiros ofereceram quase o dobro do que ele recebia em Porto Alegre para atraí-lo. Na Toca da Raposa II, o lateral recebe R$ 500 mil por mês, enquanto o valor faturado no Rio Grande do Sul não superava a casa dos R$ 280 mil.

Para contar com Edilson em seu elenco, o clube presidido por Wagner Pires de Sá teve que liberar o meia-atacante Alisson em definitivo para o Grêmio. Os gaúchos ficaram com 30% dos direitos econômicos do jogador. Thony Anderson, recém-promovido das divisões de base, também foi emprestado ao clube do Rio Grande do Sul por conta do acordo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos