CBF afasta presidente da Federação Paraibana e decreta intervenção

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/Federação Paraibana de Futebol

    Amadeu Rodrigues, presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF)

    Amadeu Rodrigues, presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF)

A Comissão de Ética da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) determinou o afastamento temporário do presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, um dos alvos da Operação Cartola – que investiga um enorme esquema de corrupção no Estado.

A Comissão ainda recomendou à CBF a nomeação de um interventor independente. Nesta segunda-feira, a CBF confirmará o auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Dr. Flávio Boson Gambogi, para conduzir as atividades da Federação Paraibana até a conclusão das investigações. Durante este período, ele estará licenciado de suas funções no STJD.

Amadeu Rodrigues está no comando da FPF desde o início de 2015 e é um dos 85 alvos das investigações que contêm mais de 100 mil conversas entre os envolvidos.

Deflagrada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público da Paraíba no começo de abril, a Operação Cartola é resultado de mais de seis meses de investigações e tem por objetivo apurar os crimes cometidos por uma organização composta por membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Comissão Estadual de Arbitragem da Paraíba (Ceaf), Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD/PB) e dirigentes de clubes de futebol profissional do Estado da Paraíba (os cartolas).

Como resultado da Operação Cartola, árbitros citados nas investigações já foram suspensos das escalas de arbitragem da CBF. Além disso, um dos principais alvos das investigações da Polícia Civil e Ministério Público da Paraíba, o ex-árbitro José Renato Soares, foi demitido da presidência da Comissão Estadual de Arbitragem (Ceaf).

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DA CBF:

Com base no que consta nos processos éticos, na última sexta-feira, a Comissão de Ética do Futebol Brasileiro determinou o afastamento temporário do presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, e recomendou à CBF a nomeação de um interventor independente. Nesta segunda-feira, a CBF confirmará o auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Dr. Flávio Boson Gambogi, para conduzir as atividades da Federação Paraibana até a conclusão das investigações. Durante este período, ele estará licenciado de suas funções no STJD. Cabe ressaltar ainda que, tão logo tomou conhecimento das denúncias, a Comissão de Arbitragem da CBF suspendeu de forma preventiva todos os árbitros e assistentes ligados ao quadro da entidade paraibana.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos