M. Paraíba some de clube após ordem de prisão; advogado não sabe paradeiro

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ramon Smith/Treze FC

    Marcelinho Paraíba não dá as caras no Treze-PB há quase uma semana

    Marcelinho Paraíba não dá as caras no Treze-PB há quase uma semana

Marcelinho Paraíba continua sem dar as caras no Treze-PB, clube o qual defende desde o começo dessa temporada. O jogador de 43 anos teve prisão determinada pela Justiça no último dia 11, por atraso no pagamento de pensão alimentícia, e desde a última sexta-feira (18), quando o mandado veio a público, não manteve mais contato sequer com seu advogado – segundo palavras do próprio.

O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Cláudio Pinto Lopes, da Vara da Família de Campina Grande, que determinou que Marcelinho seja recolhido por 30 dias ao Presídio Agnelo Amorim, mais conhecido como Presídio do Monte Santo, em Campina Grande (PB). Além disso, o juiz ainda solicitou que o Treze desconte o valor devido pelo meia diretamente do salário.

Em contato com o UOL Esporte, o advogado de Marcelinho Paraíba, Afonso Vilar, disse que não consegue falar com o jogador desde sexta-feira (18). "Eu não tive mais contato com ele. Quem esteve em contato comigo foi a irmã dele. Eu ligo no celular dele desde sexta, e nada. Está sumido", afirmou.

O advogado informou que a defesa já entrou com um recurso para impedir a prisão do atleta e contestou a decisão do juiz: "Ele está aguardando a decisão do agravo, está para ser apreciada a liminar. Ele nunca disse que está sem dever, mas o que ele deve foi reconhecido e depositado. Eu manejei um agravo de instrumento que está com pedido liminar, e creio que amanhã a desembargadora deve apreciar isso aí".

"O valor que ele reconhece em débito eu depositei na conta dela [ex-mulher]. É o que eu reconheço. A discordância é porque ela está executando o débito de um acordo que ele fez e atrasou algumas parcelas. A lei diz que, sob pena de prisão, só pode cobrar três meses vencidos, e ela está cobrando oito. E cobrando antecipadamente parcelas que irão vencer de junho a março de 2019. Aí o juiz entendeu que venceu antecipado, e eu disse que não, que no acordo não previa acordo antecipado. Então o vencimento vai ser mês a mês", esclareceu.

Afonso Vilar explicou ainda que Marcelinho não tem a obrigatoriedade de se apresentar à Polícia. Porém, na prática, caso ele seja encontrado, o jogador será imediatamente preso.

"Ele tem a opção. Se ele quiser, ele se apresenta e fica preso. Se não quer por esse lado, você fique aí e aguarde a análise do agravo. Não é matéria criminal, é matéria civil. Não tem problema quanto a isso. É indiferente a prisão ou não para se apreciar o pedido', disse.

Procurado pelo UOL Esporte, o Treze  afirma não ter informações sobre Marcelinho Paraíba, lamenta sua ausência e fica no aguardo da solução do caso para que ele volte às atividades.

Na última quinta-feira (17), Marcelinho Paraíba faltou aos treinamentos da equipe alegando problemas pessoais. Na sexta (18), sequer viajou com o elenco que, no domingo, em Alagoas, goleou o Santa Rita por 5 a 0 pela Série D. Desde então, não apareceu mais no clube.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos