Carille deixa o Corinthians com 3 títulos e legado para interinos no Brasil

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Felipe Rau/Estadão Conteúdo

    Carille levantou três taças pelo Corinthians em menos de um ano e meio

    Carille levantou três taças pelo Corinthians em menos de um ano e meio

Na noite da última terça-feira, o Corinthians viu terminar a vitoriosa passagem de Fábio Carille pelo clube, com o acerto para comandar o Al Wehda, da Arábia Saudita. Auxiliar e campeão com Mano Menezes e Tite, ele teve sua chance como técnico principal a partir de janeiro do ano passado. Foram 17 meses intensos, de superação e sucesso, com três títulos conquistados e um legado que ultrapassa até os domínios corintianos.

O sucesso da aposta alvinegra em um treinador "prata da casa", adaptado aos padrões dos antecessores que prosperaram e respeitado pelos jogadores, se tornou exemplo para outros clubes brasileiros. Dirigentes passaram a acreditar mais em seus interinos, aumentando o prazo de validade dessa confiança e prometendo investimento e cuidado para prepará-los para o futuro.

Carille, indiretamente, abriu portas para nomes como Odair Hellmann, no Internacional, Mauricio Barbieri, no Flamengo, e Thiago Larghi, no Atlético-MG. O Palmeiras esboçou aposta em Alberto Valentim no ano passado. O São Paulo teve dois anos e meio de sucesso com André Jardine no sub-20 e agora o puxou para a comissão técnica principal, para ser auxiliar fixo e, muito provavelmente, o substituto de Diego Aguirre. 

O Santos tenta seguir o mesmo caminho, com Luciano Santos, atual comandante do sub-17. E, evidentemente, o próprio Corinthians mostra que aprendeu com as conquistas recentes. Osmar Loss já aparece como sucessor de Carille, depois de ter trabalho elogiado nas categorias de base e ser levado à comissão técnica principal.

Esse legado de mais respeito a jovens técnicos pode ser colocado à frente até da capacidade de Carille como treinador, representada pelo bicampeonato do Paulistão e pelo título do Campeonato Brasileiro. Como técnico, os méritos foram muitos, mas fundamentados nos ensinamentos de Mano e Tite, replicando esquemas, táticas e ideias de jogo. A solidez defensiva desponta como a maior virtude.

Carille também sai coberto de elogios pela forma como administrou o elenco corintiano nesses 17 meses. Poucos e contornáveis problemas, ambiente blindado. Ao mesmo tempo, apresentou dificuldades para gerir o relacionamento com a imprensa. Discussões e respostas atravessadas em coletivas, culminando com a reclamação sobre supostas "mentiras" a respeito das negociações com o Al Hilal, o outro clube saudita que o desejava. O técnico pediu desculpas na tarde de terça e, horas depois, comunicou seu adeus ao Corinthians.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos