Santos se espelha em rival e pretende revelar o "seu Carille" em casa

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

    Luciano Santos revelou a geração de Rodrygo e companhia desde a categoria sub-10

    Luciano Santos revelou a geração de Rodrygo e companhia desde a categoria sub-10

O Santos se espelha no Corinthians e pretende revelar um treinador "dentro de casa". O arquirrival santista fez isso com Fábio Carille e já prepara até o seu substituto: Osmar Loss. Na Vila Belmiro, o escolhido para ser o futuro técnico do time é Luciano Santos, que atualmente comanda a equipe sub-17.

O UOL Esporte apurou que a diretoria considera o treinador moderno, inteligente e estudioso do futebol. Além disso, Luciano Santos foi o responsável por revelar a nova geração de Meninos da Vila. Ele comandou Rodrygo, Yuri Alberto e companhia desde a categoria sub-10.

O futuro treinador da equipe profissional do Santos começou no clube em 2011, nas categorias sub-10 e sub-13. Depois, comandou por mais três anos o sub-15, considerado a sensação do clube nos últimos anos, muito por conta da presença de Rodrygo. Os resultados nesta categoria o levaram à promoção para o sub-17.

"Diretamente trabalhei com as gerações de 97 para cá. Então, com o Rodrygo e o Yuri Alberto. O Rodrygo começou comigo com 10 anos e o Yuri com 12. Todos foram avaliados e fizemos a sequência no trabalho. Trabalhei com essa categoria que tem Rodrygo, Yuri, Victor Lourenço, Lucas Yan juntos todos os anos até agora, no sub-17", afirmou Luciano Santos ao UOL Esporte.

"[No profissional] tem o Arthur Gomes, também. Indiretamente, cheguei a treinar o Thiago Maia, também", completou.

Na reunião do Comitê Gestor da última segunda-feira, na Vila Belmiro, ficou decidido que Luciano Santos fará parte de uma espécie de "comissão transitória", que será utilizada quando o clube paulista ficar sem treinador no profissional. Até a contratação do novo técnico, em uma situação hipotética, ele e outros treinadores da base, como Rodrigo Leitão, da categoria sub 20, comandariam o time principal.

A ideia é seguir o modelo do Corinthians, preparando um treinador que respeite o "modelo tático" do clube. Carille herdou o trabalho de Mano Menezes e Tite. No Santos, a ideia é que o treinador seja bastante ofensivo e adote o "DNA ofensivo" do clube.

"Acho que tem uma cultura diferente. O Carille segue muito o que o Tite plantou, até por ter trabalhado com ele, na sua comissão. Ele deu seguimento em uma estrutura de jogo, em uma forma de se jogar. Vejo pelo lado bom ter trabalhado um profissional que já conhecia o clube e a forma do modelo implantado para dar seguimento", afirmou Luciano Santos.

"O primeiro lugar não adianta montar um esquema de jogo, fazer o time jogar igual ao Barcelona, se o clube gosta de um futebol agressivo, ousado, para frente. Na hora que começar a tocar para trás vão se irritar e o jogador não vai ter confiança em fazer o que está acostumado a fazer. Então, sabemos que se abrirmos mão de jogar em cima, pressionarmos, marcar alto, vamos ter a torcida reclamando de estar com as linhas baixas, com os blocos defensivos. É alternar todas as situações do jogo, buscar equilíbrio e tentar respeitar a cultura do clube", completou.

Vale ressaltar que Luciano Santos atualmente não faz "sombra" a Jair Ventura, que teve sua demissão discutida na última segunda-feira após a derrota no clássico para o São Paulo, a quarta em seis jogos. A ideia da diretoria é manter Jair pelo menos até a Copa do Mundo, mas caso o treinador colecione mais resultados negativos, o clube paulista buscará outro nome no mercado.

Zé Ricardo, do Vasco, é o preferido. Ele foi o nome mais comentado na reunião, mas Abel Braga também agrada a cúpula santista. No entanto, a prioridade é contratar três reforços, no mínimo, a Jair Ventura, e ver o resultado do treinador em campo.

Desta forma, Luciano Santos está sendo observado e preparado para ser o treinador do Santos em futuro próximo, mas não para a vaga de Jair Ventura, caso o treinador não se mantenha no cargo. O "técnico revelação" do clube, inclusive, ainda não foi informado sobre as intenções da diretoria ao seu respeito e foi surpreendido pela reportagem.

Luciano Santos ainda não possui a licença A da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para comandar o time principal. Ele iniciará este modulo na próxima temporada. O treinador do sub-17 se formou até a licença B, que o dá direito a comandar os times das categorias de base.

"Estou com 8 para 9 anos na base e vejo as coisas acontecendo gradativamente. Estou me preparando, me estruturando, contente com o trabalho que vem sendo realizado, os atletas formados. Queremos formar tanto o atleta como o cidadão de bem, homens de caráter. Deixa acontecer, vai ser na hora certa. Não quero forçar, vai ser uma consequência de conquistas e trabalhos", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos