Deyverson vai mal e faz torcida festejar saída como gol; clube pede apoio

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

A torcida do Palmeiras vaiou o time ao fim do primeiro tempo do jogo com o América-MG, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, na última quarta-feira. O time mineiro vencia por 1 a 0 e ia levando o jogo para os pênaltis. Na volta do intervalo, porém, o estádio explodiu em comemoração como se o time tivesse feito um gol. O motivo? Deyverson estava sendo substituído por Guerra.

A atuação do centroavante, que ganhou a vaga no time titular devido ao desfalque de última hora de Dudu, irritou bastante os mais de 22 mil presentes ao Allianz Parque. Ele errou passes simples, se complicou para dominar a bola em alguns lances e ainda perdeu um gol incrível na pequena área. Mesmo sacado por Roger Machado no intervalo, no entanto, ele recebeu apoio interno do treinador e dos colegas.

"O torcedor sempre quer que o time vença, e elege alguns jogadores que por vezes não gostaria que estivesse em campo. Mas eu me recordo nos primeiros jogos do ano, quando chamei o Bruno Henrique para entrar em campo, ele foi vaiado. Depois, conseguiu se tornar titular, e hoje todo mundo gosta, ninguém vê o time sem o Bruno. A mesma coisa com o Miguel (Borja). Entendo o torcedor, mas a gente tem que entender que esses atletas estão representando o nosso clube, e um pouco de carinho também vem bem em muitos momentos", disse Roger.

O treinador não fala em deixar de utilizar Deyverson por causa da pressão do torcedor. Ele vê o camisa 16 como substituto natural de Borja, que está na seleção colombiana. Para amenizar a pressão sobre o centroavante, porém, ele pode adotar estratégias como colocar o jogador em campo em partidas já decididas ou em jogos fora de casa, para que o atleta recupere aos poucos a confiança.

Entre os jogadores, Deyverson também tem amplo suporte. Apelidado de "Deyvinho", o jogador é querido no elenco e tratado com carinho no dia a dia. A entrega nos treinos é apontada como um ponto forte, assim como a boa capacidade para ganhar disputas aéreas e fazer o pivô.

Com a situação de Dudu ainda indefinida, a formação do ataque do Palmeiras é uma incógnita para o jogo de sábado, novamente no Allianz Parque, contra o Sport, pelo Brasileirão. O clube alviverde segue aguardando uma liberação da CBF para saber se poderá contar com o camisa 7. Willian e Papagaio são as alternativas a Deyverson para a função de centroavante.

Caro, "atacante de Cuca" e cheio de concorrência

O problema entre a torcida do Palmeiras e Deyverson vem desde a chegada dele ao clube. Contratado por 5 milhões de euros (R$ 18,6 mi, na cotação da época) a pedido de Cuca, que estava insatisfeito com Borja, ele nunca conseguiu provar seu valor em campo. No episódio mais traumático, pediu para não bater na disputa de pênaltis contra o Barcelona-EQU, que acabou eliminando o clube alviverde da Libertadores de 2017. 

Com a saída de Cuca, seu maior avalista, Deyverson perdeu espaço e caiu em desgraça com a torcida. Neste ano, tem sido usado por Roger apenas quando Borja não está disponível. Com o mau desempenho apresentado, ainda não conseguiu recuperar prestígio com a torcida. Para completar, viu o clube anunciar a contratação de Arthur Cabral, hoje, no Ceará. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos