Palmeiras obtém efeito suspensivo para suspensão de Galiotte no TJD

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

    Galiotte pegou 45 dias de suspensão por declaração sobre "Paulistinha"

    Galiotte pegou 45 dias de suspensão por declaração sobre "Paulistinha"

O Palmeiras conseguiu no Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) um efeito suspensivo para a pena de 45 dias imposta ao presidente Maurício Galiotte em 14 de maio. Ele está livre da suspensão até o julgamento de um recurso, cuja data ainda será marcada.

Galiotte havia sido punido por conta de suas declarações após a final do Campeonato Paulista, em que o Palmeiras foi derrotado nos pênaltis pelo Corinthians e acusou interferência externa na arbitragem no lance em que o juiz Marcelo Aparecido mandou voltar um pênalti marcado sobre Dudu. Na ocasião, o mandatário disse que o torneio estava "manchado" e o chamou de "Paulistinha".

Rompido com a Federação Paulista de Futebol (FPF), o presidente palmeirense não compareceu ao seu julgamento há duas semanas e nem sequer mandou advogado para a sessão. Agora, porém, o clube entende que é o momento de se defender do que considera ser uma punição injusta.

A suspensão a Galiotte proibia o dirigente de atividades menores, como frequentar vestiários em dias de jogo ou de dar entrevistas representando o Palmeiras. Agora, ele pode voltar a exercer essas funções.

O Palmeiras ainda luta na justiça desportiva pela impugnação da final do Campeonato Paulista. Na próxima segunda-feira (4), o Pleno do TJD vai julgar recurso do clube contra o arquivamento sem análise do mérito que o presidente do tribunal, Antônio Olim, impôs ao pedido inicial de anulação da partida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos