Luto: co-autor do hino do Coritiba morre aos 70 anos

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Arquivo pessoal

A comunidade coxa-branca está de luto. Morreu na noite desta última quarta-feira (06), vitima de um infarto, o compositor e arquiteto Homero Reboli, um dos autores do hino oficial do Coritiba, escolhido em um concurso realizado em 1999, e escrito em parceria com o jornalista Claudio Ribeiro. Homero tinha 70 anos e deixa a esposa, três filhos e três netas.

O hino oficial do Coritiba sempre foi uma lacuna na história do clube. Sem uma versão oficial até o final dos anos 90, a torcida coxa-branca adotou nas arquibancadas a música "Ó Glorioso (Coritiba Eterno Campeão)", do compositor Francis Night, composta em 1989. Antes, a marchinha "Eterno Campeão (Cori, Cori, Cori)", de autoria do jornalista Vinícius Coelho com o compositor Sebastião Lima era a que embalava as conquistas do clube. Mais atrás ainda no tempo, o "Hino do Coritiba FC", de Barros Cassal e Bento Mossurunga, foi o primeiro registro de uma tentativa do clube em ter sua marcha, em 1928.

Em 1999 a diretoria do Coxa decidiu abrir um concurso para escolher um hino oficialmente. Reboli e Ribeiro inscreveram sua versão entre outras 147 e foram escolhidos. Confira a letra e ouça o hino:

Lá no alto de tantas glórias
Brilhou, Brilhou um novo sol
Clareando com seus raios verde e branco
Encantando o país do futebol
Palco de artistas, jogadores, de um passado sem igual
Da arte dos teus grandes valores
O seu nome pelo mundo vai brilhar

Coritiba, Coritiba campeão do Paraná
Tua camisa alviverde
Com orgulho para sempre hei de amar

Jogando pelos campos brasileiros
Despertando na torcida emoção
Coritiba Campeão do Povo
Alegria do meu coração

Coxa, Coxa, é garra, é força, é tradição
Coxa, Coxa, explode coração

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos