Porto se reúne com estafe de Militão, mas PSG atravessa e promete oferta

José Eduardo Martins e Marcus Alves

Do UOL, em São Paulo e Lisboa (POR)

  • Marcello Zambrana/AGIF

O futuro de Éder Militão está mais perto do PSG. Os franceses entraram em contato com os representantes do jovem jogador do São Paulo e avisaram que pretendem fazer uma oferta para levá-lo ainda no meio do ano. Os parisienses atravessaram as conversas que o Porto mantém pelo atleta e incluem uma reunião recente para tentar selar um acordo para sua contratação.

Conforme apurado pelo UOL Esporte, os empresários Adriano Spadotto e Carlos Meinberg Neto, que trabalham em parceria com Giuliano Bertolucci, estiveram em Portugal e se encontraram com os portistas.

Bertolucci é o responsável por conduzir as tratativas ao lado de Ulisses Jorge, que cuida mais diretamente da carreira de Militão.

O PSG pediu que o também brasileiro Humberto Paiva, braço-direito do israelense Pini Zahavi, um dos principais agentes do mundo, fique à frente do assunto. Os dois tiveram papel decisivo na vinda de Neymar para o clube e estreitaram desde então os laços com o diretor Antero Henrique.

Pessoas ligadas à negociação informaram à reportagem que os números colocados na mesa pelo PSG são inicialmente superiores aos do Porto. O Manchester City foi outro a mostrar interesse no polivalente jogador, que atua como volante, zagueiro e lateral, e discutiu internamente avançar em sua contratação. Ele repetiria o roteiro de Douglas Luiz, ex-Vasco, e seria repassado a um outro clube na primeira temporada.

Como tem contrato até o dia 11 de janeiro de 2019, Militão fica livre para assinar contrato com qualquer equipe a partir de julho e, assim, sair de graça.

O São Paulo, no entanto, mantém sua esperança na postura dos estrangeiros. O acordo diretamente com o empresário quando o atleta ainda está vinculado a outro time pode ser tratado como aliciamento e gerar até mesmo um processo na Fifa para quem ousar seguir esse caminho.

A cúpula tricolor não acredita que nenhum dos interessados na revelação de 20 anos adotará essa via.

Militão tem o salário mais baixo entre os titulares do São Paulo. O garoto recebe R$ 12 mil mensais, enquanto outros atletas chegam a ganhar 40 vezes mais. Na Barra Funda, há quem suspeite até que ele receba uma ajuda de custo de seu estafe para contornar a situação. Assim, teria mais tranquilidade para não assinar a renovação de seu vínculo e, consequentemente, aumentaria a fatia das luvas em uma futura transferência.

Com uma amigdalite de última hora, Militão ficou de fora da vitória tricolor de 3 a 0 sobre o Vitória na terça-feira passada, no Morumbi. Ele é o único nome do clube à disposição na lateral direita.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos