Onde jogarão e quem serão concorrentes da nova dupla gringa do Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Atlético-MG

    Conhecido na América do Sul, Chará chega com status de grande contratação ao Atlético

    Conhecido na América do Sul, Chará chega com status de grande contratação ao Atlético

Anunciados recentemente pelo Atlético-MG, o colombiano Yimmy Chará e o uruguaio David Terans serão novidades no elenco que se reapresenta após o recesso planejado durante a pausa para a Copa do Mundo. Ponta-direita de origem, o primeiro deve disputar posição com Luan, enquanto o segundo, que trabalha como armador, pode servir como sombra de Cazares.

Se ambientado e em condições de jogo, Chará larga na frente por uma vaga no time titular. E quem corre o risco de perder seu posto é o atacante Luan. Bastante conhecido na América do Sul e também na sua seleção, o colombiano é um típico ponta-direita e pode ser utilizado por Thiago Larghi no setor. Com bastante força física, tem boa resistência para ajudar na marcação, além de apresentar na velocidade sua maior qualidade. Também pode auxiliar na criação de jogadas, o que ajudaria a desafogar Cazares na responsabilidade de servir seus companheiros.

Se considerada a saída iminente de Róger Guedes, Chará também pode ser testado na outra ponta do campo, do lado esquerdo, permitindo a utilização de Luan na região que mais gosta de atuar.

"O Chará é um jogador de muita qualidade, já conhecido no cenário internacional e com a seleção colombiana. Ele joga pelos lados, e pretendemos usá-lo assim", disse o técnico interino do Galo.

Terans chega com potencial de crescimento no clube, mas sem tanta pompa quanto Chará. Apesar de menos badalado, pode ser útil principalmente por atuar em uma região de instabilidade no time. O uruguaio é mais meia do que ponta, e gosta de atuar mais centralizado. O cacoete criativo pode fazer com que ele vire sombra para Cazares, camisa 10 e principal organizador da equipe, mas que convive com altos e baixos e ainda não atingiu sua performance ideal para Larghi. Sua boa leitura e finalização em longa distância podem ajudar.

"O Terans é mais central, um meia que poderemos usar mais por dentro e que ainda tem uma boa capacidade de finalização", avaliou Larghi.

A primeira experiência no Brasil e o tempo de adaptação será um ponto em comum para ambos. Apesar de já terem passagens fora de seus respectivos países, ainda não se sabe como a dupla irá reagir até se ambientar ao futebol nacional. A favor deles e de Thiago Larghi está a pausa para a Copa do Mundo. Ausente na lista final da Colômbia, Chará fará toda a intertemporada com o Galo, assim como Terans. Juntos, eles terão pelo menos três semanas de treinos com o grupo antes do retorno do Brasileirão.

"Eu precisei repetir bastante o time (no primeiro semestre) porque não havia tempo para treinar, e agora a gente vai ter. Quem sabe a gente possa ter alguma novidade, em termos de sistema e variação. Por todo o estresse que a gente passou, a pausa vai ser benéfica. Os treinamentos podem nos favorecer", declarou o treinador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos