Parceira do Inter muda espaço para colocar torcida no 'Coração do Gigante'

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Vinicius Dalla Rosa/ Divulgação

    Coração do Gigante, espaço remodelado para torcedores do Inter no Beira-Rio

    Coração do Gigante, espaço remodelado para torcedores do Inter no Beira-Rio

Desde o início do ano, a Brio, parceira do Inter em espaços do Beira-Rio, mudou o formato de seus lugares. Com objetivo de atrair mais torcedores, o "Beira-Rio Premier Club" passou a se chamar "Coração do Gigante" e oferece uma série de benefícios aos aficionados.

"O nome traduz muito o que é o posicionamento. Antes se falava muito em área VIP, mas queremos mesmo é aproximar do torcedor. Se dizia que não tinha emoção do estádio. É isso que fomos atrás: nos reposicionamos com nome, forma de abordar, visual e fisicamente no estádio. Tudo foi alterado para ir ao encontro do torcedor, o que ele nos dizia: vibração, emoção, aquilo que o futebol me dá, o coração. Fomos traduzindo isso que o torcedor nos dizia na prática do nosso dia a dia. Nos aproximamos da emoção do futebol", disse o CEO da Brio, Paulo Pinheiro, ao UOL Esporte.

A mudança de nome e modernização dos espaços surgiu após pesquisa de mercado que entrevistou torcedores. O objetivo era conhecer as preferências e fatores que levariam à identificação entre o aficionado e o local do estádio que frequenta.

"Começamos o trabalho no fim de 2016. Contratamos uma pesquisa de mercado. Identificamos que a Brio nasceu para Copa de 2014. A alteração do estádio nasceu com isso, e após a Copa o mercado ficou completamente diferente. A gente sentiu uma retração nas vendas, e sentimos uma necessidade de repensar. Fomos atrás de um diagnóstico. Fizemos uma pesquisa de três meses. Dessa pesquisa, foi trabalhada publicidade, comunicação, rede social, conteúdos, já como resultado da pesquisa. Aprofundamos a pesquisa ainda mais, com uma segunda etapa. Equipes foram deslocadas para o estádio analisando o comportamento dos torcedores. Resultou no nosso novo posicionamento de mercado, que busca atender o que o consumidor disse", contou.

E deu certo: tanto que nos cinco primeiros meses do ano as vendas de cadeiras superaram as realizadas nas temporadas de 2016 e 2017.

"A gente percebe uma aproximação. O que imaginamos estar fazendo se concretizou. Quem vai ao estádio no Coração do Gigante está em um ambiente acolhedor. Antes parecia não estar no estádio, hoje está em conexão com o Inter, o clube, o time... E a maior tradução disso é que batemos o recorde de vendas de cadeiras nos cinco primeiros meses do ano. Comparado aos outros anos, nestes cinco primeiros meses as vendas foram muito acima do que acontecia. Estamos muito felizes com o resultado. Tem muito para acontecer. Como o clube vem se recuperando, está bem no Brasileiro, isso reflete direto na relação da torcida. A média de público aumenta, mas aumenta na nossa área. É um processo. Estamos fazendo com que a experiência do estádio seja o que ele vai enxergar em campo", afirmou o dirigente.

"Antes nossos atributos de valor estavam baseados em localização, conforto, só que isso não é emoção. Mas a cadeira da Brio é a mais próxima do gramado. Se sente o treinador falando com o jogador, é reclamar de pertinho do juiz, falar com o banco de reservas... é o pulsar do jogo, e isso estamos conseguindo passar agora", completou.

A Brio, (SPE Holding Beira-Rio S.A.), é parceira do Inter na administração do estádio. Faz a gestão de 7,5 mil lugares - sendo 5 mil em cadeiras e 2,5 mil em 125 camarotes -, 65 bares internos e 40 lojas externas. Também, administra o Edifício-Garagem Beira-Rio, com 3 mil vagas de estacionamento, e o Sunset Beira-Rio. Além disso, é responsável pelos shows, eventos e pela comercialização de patrocínios, publicidade e merchandising.

Pela localização, os espaços da parceira eram mais caros que os demais no estádio. Mas o preço também foi revisto e calculado para tornar-se mais atrativo.

"A principal modalidade que temos é um contrato anual, de cadeira e camarote. Hoje temos cadeira por R$ 165 por mês. E se tu imaginares três jogos por mês no Beira-Rio, são R$ 55 por jogo. Além do Coração do Gigante colocar o torcedor próximo na emoção, na vibração do jogo, continua tendo a melhor localização do estádio, passarela para o edifício garagem, poder sair e voltar do estádio, espaço kids, atendimento especial de alimentos e bebidas, vantagens que já existiam e só foram agregadas com nosso novo posicionamento. A redução de preço permite mais pessoas na nossa área, e isso também é bom para o time. O principal negócio da Brio é o futebol. 46% do faturamento vem do futebol. Este é o nosso mote", acrescentou Pinheiro.

Entre suas atribuições, a empresa também gere o Coreia, espaço de bares no estádio que leva a torcida e vivenciar a experiência de estar no Beira-Rio sem entrar no jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos