Aguirre fala de reforços no SP, mas vê saída de jogadores com naturalidade

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

Mesmo com a pausa do Campeonato Brasileiro para a Copa do Mundo, Diego Aguirre mantém a sua rotina de trabalho. O treinador do São Paulo precisa discutir com os integrantes do departamento de futebol qual será o planejamento para o segundo semestre. Além de definir metas e o sistema de trabalho, o Tricolor tem de agir no mercado da bola. Apesar de ver o elenco carente em alguns setores, o uruguaio parece já calejado com o vaivém de jogadores neste período em que a janela de transferência para o exterior é aberta. 

"Sim, acho (o São Paulo carente em algumas posições). Mas não vou falar agora porque são coisas que vou conversar com a diretoria. É normal. Acontece, nestes momentos, de os jogadores irem embora ou serem contratados. É algo natural", disse o treinador, em entrevista exclusiva ao UOL Esporte antes da pausa no Brasileiro, sem precisar o número de trocas que devem acontecer no elenco.

"Existem coisas que eu não sei, também. Jogadores que estão com uma possível negociação. Isso vai acontecer nos próximos dias", completou.

Com apenas três meses no São Paulo, Aguirre já conseguiu implantar o seu sistema de trabalho. Sob seu comando, o Tricolor resgatou a confiança dos torcedores. Até a pausa para a Copa do Mundo, o time fechou a sua participação no Campeonato Brasileiro na terceira posição, com 23 pontos somados em 12 partidas (seis vitórias, cinco empates e apenas uma derrota).

"Sim (é difícil implantar rápido o sistema de trabalho), mas acho que tem muito de psicológico. O trabalho de dar convicção e determinação ao time. Os jogadores, neste sentido, viram uma oportunidade, um momento de outra etapa e que juntos poderíamos ir adiante. Então, eles estão trabalhando, se dedicando e acreditando no nosso trabalho, que é muito importante".

Confira abaixo alguns trechos da entrevista com Aguirre:

Saldo com a saída de jogadores

Podemos perder, mas podemos ganhar. A saída de jogadores nem sempre é ruim. A saída de jogadores, às vezes, é necessária e faz bem. Não é uma coisa que me preocupe. Sinto que o São Paulo vai ter uma segunda parte do ano onde vamos ter um time melhor ainda. Faz bem (a saída de jogadores), porque às vezes tem jogador que sai porque tem rendimento bom, mas às vezes existem jogadores que saem porque não têm um rendimento muito bom. Então, às vezes, faz bem buscar algumas alternativas, mudanças, sempre acontece isso.

Rotina na janela de transferência

É um trabalho em conjunto, um trabalho em equipe. Gosto de dar as minhas ideias, trocar ideias com Raí, com a comissão que faz as contratações, com Pássaro (advogado do clube). E com o presidente. Juntos vamos determinar o que é melhor. Não é uma decisão só minha. Falo as necessidades que podemos ter, mas isso vai também da mão dos jogadores que saem. Por isso, não é um processo de um dia. Vão alguns dias para termos mais certeza do que está acontecendo.

Segundo semestre

Bom, eu já tenho um conhecimento de três meses de trabalho. E é diferente, porque você já conhece os jogadores, o funcionamento do clube, de todas as pessoas que trabalham. Então, a segunda parte eu imagino muito boa, necessária para nós para nós termos um tempo de trabalho e para que o time vá melhorando. É muito importante essa parada para nós.

Metas e títulos

Estamos trabalhando para que o time brigue por coisas importantes. E queremos um título. Mas não poderia falar isso agora, nós estamos trabalhando para que isso aconteça.

Nenê

Ele é um jogador importante. Nós tivemos a sorte, a coincidência de termos trabalhado juntos no Catar, e agora nos reencontramos aqui. Ele é um jogador que trabalha, tem liderança, qualidade e está ajudando muito para o São Paulo retome os triunfos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos