Topo

Futebol


Flu vê viés político em protesto e adota medidas para coibir violência

Rodrigo Paradella
Flu terá mais vigilância em dias de sessões do Conselho Imagem: Rodrigo Paradella

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

05/07/2018 04h00

Após as ruas do entorno do estádios das Laranjeiras serem transformadas em uma praça de guerra, o Fluminense acredita que existe viés político nos protestos e já adotou medidas para evitar que as cenas se repitam.

Por três vezes, a sede centenária foi alvo de tentativa de invasão por pessoas descontentes com a gestão de Pedro Abad, e a cúpula do clube querem apurar os fatos e coibir futuros atos violentos. Reforço na segurança em dias de sessões do conselho e maior aparato policial são ações que serão colocadas em curso, mas o Tricolor pretende identificar a origem dos protestos e seus mentores.

Segundo o UOL Esporte apurou, é corrente no clube a certeza de que as manifestações têm viés político e podem ter a participação efetiva de opositores ao presidente.

Imagens das câmeras serão usadas para ajudar na identificação dos autores, que serão punidos caso tenham algum vínculo formal com a entidade. 

"O clube também entregou às autoridades já mencionadas material contendo ameaças, intimidações e incitações à violência relacionadas a eventos sociais futuros na sede tricolor, e reforça que continuará monitorando e compartilhando tais conteúdos, sempre com o objetivo de impedir que essas cenas lamentáveis voltem a acontecer mas também com o propósito de identificar e responsabilizar seus autores", diz nota oficial publicada pelo clube nessa quarta-feira (4).

A confusão teve início tão logo o grupo teve acesso às Laranjeiras bloqueado. Sem autorização para entrar e entregar uma carta com pedido de renúncia, o grupo de torcedores acendeu bombas e morteiros, e até tiros foram ouvidos. Janelas foram quebradas, e lixeiras foram usadas como armas. Para dispersar o tumulto, os policiais militares utilizaram spray de pimenta.

Um grupo de conselheiros de oposição já reuniu o número mínimo de assinaturas para que um processo de impeachment seja instaurado, mas o requerimento ainda não foi protocolado.

Bem distante da efervescência política do Flu e a muitos quilômetros da sede social, o elenco tricolor segue a sua preparação de olho na retomada do Campeonato Brasileiro. Na última quarta, os titulares disputaram jogo-treino contra a Portuguesa.

Mais Futebol